Comentário sobre "A Parábola do Semeador"



Comentário sobre "A Parábola do Semeador"

Evangelho Segundo o Espiritismo
Cap. XVII - Ítens 5 e 6
Tema: Parábola do Semeador

Todos nós somos convidados a semear, a difundir a palavra do Mestre Jesus através do trabalho no Bem. 

Deus é tão Bom que deu várias oportunidades ao homem para se utilizar do seu livre arbítrio e escolher, uma ou mais, entre várias religiões distribuídas em todo o planeta. Não estamos afirmando que a religião é necessária para a prática do Bem, encontramos muitas pessoas iluminadas pelo Evangelho sem terem nenhuma religião. A religião ajuda a partir do momento em que nos unimos a outras pessoas que professam da mesma fé, a fim de servirem de estímulo e base familiar espiritual, como também fornecer um ensino sistematizado através das suas doutrinas.

Acreditamos que cada pessoa está na religião que merece e que precisa no seu momento evolutivo, por isto não existe religião certa ou errada. Como cada um vai fazer uso dos ensinamentos do Evangelho também irá depender da maturidade espiritual de cada um. Devemos respeitar as etapas que todo ser humano atravessa, como nos diz o Livro dos Espíritos, questão 1006:

"Deus criou os seres simples e ignorantes, e todos devem progredir num tempo mais ou menos longo, de acordo com a própria vontade."

Citando a nossa religião Umbanda, também nela existe a diversidade de pensamentos, cada Casa tem por base de sua doutrina a raiz do seu dirigente, de onde sobressai a sua fé e todo o seu aprendizado, que deve ser respeitada. 

A lição do Evangelho é a semente, o solo fértil ou com pedras e espinhos representa o coração do homem, que tem o livre arbítrio para seguir na luz ou nas trevas de sua ignorância. A Umbanda traz a luz, os que ainda não veem é porque seu solo contém muitas pedras e espinhos. Mas o que importa é semear sempre porque a colheita, mesmo em tempo impreciso, é certa e abundante.

Ednay Melo





Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Tapete de Oxalá (Boldo) - Pesquisado por Ednay Melo

Cores, Datas Comemorativas e Dias da Semana dos Orixás - Por Ednay Melo