Pular para o conteúdo principal

Destaques

Sobre Humildade no Espiritismo e na Umbanda - Por Ednay Melo

Sobre Humildade no Espiritismo e na Umbanda - Por Ednay Melo



Evangelho Segundo o Espiritismo
Cap. VII - Bem-Aventurados os Pobres de Espírito

Comentário sobre o texto do Evangelho: "Bem-Aventurados os Pobres de Espírito"

Sobre Humildade no Espiritismo e na Umbanda

Entendemos como "pobres de espírito" os que enaltecem tudo o que é ou está relacionado com o mundo da matéria, sem que nenhum benefício lhe traga como espírito eterno. A humildade é um dos sinais da riqueza do espírito. Muito ouvimos falar em humildade, mas o que é mesmo humildade? Como defini-la? É mesmo possível praticá-la sem enganar a nós mesmos, porque muitas vezes o verniz das boas qualidades morais encobrem um ser humano fragilizado e perdido em sua própria consciência...

Várias opiniões foram dadas no momento do nosso Evangelho e não se chegava a um acordo do que seja humildade. Humildade é baixar a cabeça sempre e concordar com tudo? Preciso me anular para ser humilde? Ser humilde é não revidar uma ofensa, não se defender? O Evangelho mostra uma grande verdade, as pessoas cultas ou pseudo-sábias têm a tendência a menosprezar tudo o que não são capazes de compreender ou tudo o que contraria as suas opiniões. Daí vemos claramente que a soberba e a prepotência, que nada mais é do que a fragilidade do caráter, é o principal empecilho para o exercício da humildade. O verdadeiro sábio não tem a necessidade de convencer ninguém, se isto acontece é porque não acredita nele próprio e precisa do reconhecimento exterior para se sentir melhor.

Mas, voltando para a pergunta "o que é humildade", chegamos a conclusão que ela vai depender do momento! Somos seres humanos imperfeitos ainda e Deus sabe disso, nossa obrigação como cristãos é fazer o esforço para nos melhorarmos, na medida do nosso possível! Um exemplo: uma mulher religiosa faz o seu esforço constante para não se sobrepor a ninguém na sua vida cotidiana, procura fazer o exercício da humildade... No entanto, esta mulher além de cristã ela é também mãe e não suporta alguém destratar seu filho na sua frente, neste caso ela se sobrepõe e pode até atacar para defender seu filho, pode encobrir as faltas do filho, pode cair em erro que para ela é acerto... Um dia talvez ela esteja preparada para ser humilde em todas as circunstâncias, mas agora o seu momento evolutivo não lhe cobra porque ainda não é capaz de entender. 

Então vamos dar um basta no falso moralismo dos que pregam as virtudes do Evangelho e se iludem de que são capazes em todos os momentos de imitar os "santos", não é assim e Deus sabe que não pode ser assim. Devemos sim compreender o outro em seu momento, respeitar e proporcionar-lhe uma nova oportunidade.

Quando no nosso Evangelho chegamos a conclusão de que a humildade vai depender do momento, lembramos da nossa religião, o que aliás sempre fazemos, colocamos a Umbanda em tudo o que estudamos. Daremos outro exemplo que é um fato constante. Geralmente alguns irmãos espíritas, por lerem em demasia, se acham os donos da verdade e a maioria aponta a Umbanda como "uns pobres irmãos que ainda não evoluíram..." Vale para os desencarnados também! Subestimam a grandeza dos nossos Guias porque geralmente têm linguagem pobre e se posicionam com a aparência da última encarnação, interessante lembrar que um distinto estudioso da doutrina espírita um dia disse que devemos doutrinar os nossos Pretos Velhos porque ainda estão com posturas e aparência da última encarnação, e este ilustríssimo irmão deve ter esquecido, quando fez esta afirmação, que a sua mentora se apresenta com a roupagem fluídica de uma freira quando de sua última encarnação! Assista ao vídeo, que é antigo mas ainda repercute dolorosamente ao ouvir:




Podemos dizer que este irmão, neste momento do vídeo, está sendo humilde?

Por que é difícil para ele entender que usando a aparência de um preto velho, espíritos evoluidíssimos baixam em nossos terreiros para abraçar e consolar os que sofrem, muitas vezes baixam em médiuns que não sabem nem ler e escrever, mas cujo coração reflete o amor e a bondade sempre, a prática da humildade faz parte da sua rotina e é dessa forma que entra em sintonia perfeita com os espíritos superiores e lhe servem de ferramenta no transe mediúnico. Fato incontestável que muitos irmãos espíritas tentam, nas "profundezas da sua sabedoria", atestar ao fenômeno em vão. Falta-lhes humildade!

Salientamos que não temos nada contra o irmão que se apresenta neste vídeo, que dá, incontestavelmente, valiosas contribuições à Doutrina Espírita e cujo trabalho cristão desempenha até hoje com muito esmero. Que Deus abençoe o seu trabalho e a sua vida missionária. Apenas no pronunciamento deste vídeo achamos que o irmão não foi coerente e justo. E trazemos este vídeo como exemplo porque ele é apenas um entre vários irmãos espíritas que não entendem os fundamentos da Umbanda e não perdem a oportunidade de nos denegrir de forma sutil e publicamente, apresentando sempre uma falsa humildade. Quem foi espírita e hoje é umbandista sabe do que estamos falando.

Mas nós umbandistas, façamos a nossa parte! Isto não quer dizer também que todos os umbandistas são humildes. Não, infelizmente, a nossa religião como todas as religiões são formadas por pessoas diversas, boas e más, humildes e egoístas, a formação do caráter não depende da religião que se professa. Mas temos, como umbandistas, uma convivência mais próxima com os espíritos que não se dizem humildes mas se comportam como tal, através da retidão de postura de um Caboclo, através da conversa de igual para igual ao pé do toco de um Preto Velho, através da pureza das brincadeiras dos Ibejis! Aprendamos com eles a ser humildes.

Percebemos que a nossa Umbanda a cada dia se divide e se fecha em grupos. No mais das vezes grupos de pseudos sábios dentro da Umbanda, que numa postura de afirmar que a sua Umbanda é verdadeira, despreza tudo e todos que lhe contrariam as convicções. Muitos umbandistas se tratam como concorrentes e não como irmãos, e isto também é falta de humildade. Conhecemos um grupo que além das convicções que defendem como sendo as únicas certas, se perdem diante de um perigoso fanatismo de pessoas e espíritos.

Na nossa Casa, damos oportunidade a todos a nos conhecerem e nos fazer conhecer também a cada um, com os nossos erros e acertos, dúvidas e certezas, convicções e o respeito pela convicção do outro. O nosso estudo é aberto a todos que queiram, gratuitamente, cujo objetivo principal é, além do estudo sistematizado da doutrina Espírita e de Umbanda, é fazer nos conhecer para depois decidir pela casa. Temos a nossa verdade sim, acreditamos e seguimos nossa verdade, e quando o outro também sentir a nossa verdade como a dele também, então estará pronto para fazer parte da nossa corrente mediúnica e dividir conosco a nossa vivência na Umbanda que praticamos, cientes de que a umbanda que praticamos não é a única verdadeira, mas é a única e verdadeira para nós que fazemos a Tenda de Umbanda Luz e Caridade. 

Axé a todos
Ednay Melo






Comentários

  1. Ednay! Parabéns pelo belíssimo texto.
    Pude perceber que você está fazendo uma análise bem feita sobre o tema, principalmente pois está usando seus dons mediúnicos e os seus conhecimentos psicológicos. Isso é muito importante.
    Em verdade, como você esclareceu, apenas Deus nos conhece a fundo e apenas ele sabe que uma roupagem, seja preta ou branca, não influi na fortaleza e nem na humildade do espírito!!!
    Amei!!!
    Muita Paz e muita Luz!!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada Cora!!! Bom lhe ver por aqui!!! Oxalá nos abençoe! Paz e Luz!

      Excluir

Postar um comentário