A Ação das Trevas

A Ação das Trevas


Em entrevista fraterna no Centro Espírita:

- Vim buscar socorro. Ouvi dizer que esta é uma casa abençoada que ajuda as pessoas a resolverem seus problemas.

- Tentamos fazer o melhor. Em que podemos servi-lo, meu irmão?

- São as trevas! Não me dão sossego!

- Trevas?

- Sim! A influencia dos maus Espíritos.

- Pode dar um exemplo?

- Há inúmeros, a começar pela profissão. Em meu emprego os colegas vivem a falar mal de mim, inspirados pelas sombras.

- O amigo deve ter apoio em sua religião...

- Devia! As trevas imiscuíram-se até entre os que evocam o nome de Deus e ensinam as lições de Jesus. Não me dão a devida atenção.

- Os amigos...

- Que amigos?! Só vejo hipocrisia ao meu redor! Impossível cultivar amizade com gente que nos sorri, mas no fundo ri de nós.

- Como sabe disso?

- Tenho acurada sensibilidade. Percebo a influencia das trevas envolvendo as pessoas.

- E a família?

- Um desastre! Os filhos caçoam de mim. Minha mulher vive a dizer que tenho mania de perseguição. Que devo consultar um psicólogo.

- Procurou?

- Cometi essa asneira. Em principio foi muito simpático. Ouvia-me atenciosamente, aliás o mínimo que poderia fazer, já que lhe pagava regiamente. Mas logo foi envolvido também, pretendendo impor-me a idéia de que eu é que preciso mudar. Não compreendeu que a essência de meu problema está no fato de que perseguidores espirituais induzem as pessoas contra mim.

- É conveniente o amigo pensar melhor. Afinal, se aparentemente todos estão contra nós, talvez seja mais acertado admitir que estamos contra todos...

- Ah! Meu Deus! Assim não é possível! As trevas estão aqui também!...

São teus olhos a lâmpada do corpo. Se teus olhos forem bons, todo o teu corpo será luminoso. Se, porém, os teus olhos forem maus, todo o teu corpo estará em trevas. Portanto, caso a luz que há em ti sejam trevas, que grandes trevas serão!

Revista "O Mensageiro"



Comentários