Pular para o conteúdo principal

O Terreiro que Muda as Suas Convicções Doutrinárias - Por Ednay Melo

O Terreiro que Muda as Suas Convicções Doutrinárias - Por Ednay Melo
É cada vez mais crescente o número de terreiros que mudam drasticamente as suas doutrinas. É natural acompanhar a evolução de todas as coisas, aqui e ali mudar para aperfeiçoar o que já existe e dessa forma a Umbanda vem crescendo e se aprimorando, acompanhando as consciências da época atual, é natural e necessário.

Estamos falando de um terreiro mudar a sua base doutrinária, a sua raiz, por exemplo seguir por vários anos os principais conceitos da Umbanda Esotérica e de repente mudar para uma Umbanda amplamente africanizada. Nada contra os princípios de cada vertente de Umbanda, cada uma delas são ricas fontes de desenvolvimento para a religião. O mesmo terreiro pode sim seguir várias vertentes. Nos referimos a troca drástica. Imaginem um filho de fé acostumado a ir a seu Terreiro que tanto se identifica, sintonizado com as forças espirituais que lá estão, sintonia esta adquirida a custo de muita dedicação e trabalho espiritual e de repente, chega neste Terreiro e todo o ritual foi mudado, a liturgia agora segue um outro parâmetro que ele vai ter que se adaptar. Ele pode se adaptar sim, se for coerente com os seus princípios e consciência religiosa, mas se não for? com certeza ele irá se afastar deste Terreiro com a sensação de frustração e perda de tempo.

O que leva os dirigentes de Terreiro a mudarem as suas convicções doutrinárias? As vezes até por duas ou mais vezes? Achamos importante esta reflexão. E daremos a nossa opinião, entendam que é apenas a nossa opinião, não temos a intenção de julgar se certo ou errado, porque cada um sabe o que faz e porquê faz, pelo menos deveria. 

Mas enquanto não sabemos o que realmente levou este dirigente a mudar os aspectos rito-litúrgicos do seu Terreiro de forma tão inexorável, a ponto de deixar os seus frequentadores sem entender a causa real de tamanha mudança, arriscamos um palpite: 

O terreiro não tem base espiritual sólida ou, se tem, o seu dirigente é inseguro e não confia nele mesmo. Estamos de fora e não conseguimos encontrar outra justificativa, perdão aos que estão "de dentro" e que podem justificar de outra forma. 

Vamos lembrar de uma base espiritual sólida? A deixada pelo Caboclo das Sete Encruzilhadas! Até hoje a Tenda Nossa Senhora da Piedade mantém os princípios doutrinários do Caboclo, um deles é a não utilização de atabaques. É somente um exemplo, é somente uma reflexão!

Saravá à diversidade saudável da Umbanda!

Ednay Melo



Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Tapete de Oxalá (Boldo) - Pesquisado por Ednay Melo

BOLDO SETE-DORES


Nome Científico: Plectranthus barbatus Andrews 
Família botânica: Lamiaceae (Labiatae)
Sinonímias: Coleus barbatus (Andr.) Benth.

Nomes populares: boldo, boldo-de-jardim, boldo-africano, boldo-silvestre, boldo-nacional, falso-boldo, boldo-do-reino, malva-santa, malva-amarga, sete-sangrias, sete-dores, folha-de-oxalá, tapete-de-oxalá.
Origem ou Habitat: É originária da Índia (LORENZI; MATOS, 2008).
Características botânicas: é um arbusto perene, pubescente, com aproximadamente 1,5m de altura. Caule amarelo-acinzentado bastante rugoso, pouco ramificado, com ramos quadrangulares. Folhas com 4 – 8 cm de comprimento, 2,5 – 6 cm de largura, simples, opostas, ovado-oblongas, com margem dentada, verde-claro na página superior e verde-pardacento na inferior. Flores azul-violáceas , com até 2 cm de comprimento.
Habitat: Planta brasileira presente em quase todas as regiões do país - em jardins, hortas, terrenos baldios e cultivados.
História: Faz parte da medicina popular, com as mesma…

Cores, Datas Comemorativas e Dias da Semana dos Orixás - Por Ednay Melo

A Umbanda é uma religião que nos dá a oportunidade de escolher a melhor forma de praticá-la, respeitando os valores e crenças de cada um. Na umbanda existem conceitos universais, aqueles que se não forem seguidos não se pode considerar Umbanda, como por exemplo a crença em Deus e nos Orixás, a crença nos trabalhadores que formam as linhas de Umbanda como os Caboclos, os Pretos Velhos e Ibejis, a prática da caridade sem qualquer tipo de cobrança, seja material ou psicológica, não sacrificar animais, o predomínio da cor branca, trabalhos direcionados apenas para o Bem, entre outros. 
A questão das cores dos Orixás, datas comemorativas e dias da semana está confundindo muitos irmãos de fé diante de tantas informações desencontradas, mas que se apreciadas empaticamente, fazem todo o sentido dentro da realidade de cada um. 
O julgamento precipitado, a crítica que acaricia o ego, a falta de sensatez de discursos superficiais do que não se conhece, prejudica mais do que aclara o entendiment…

Homenagem aos Orixás e Guias do Mês de Dezembro - 2017

Salve Oxalá! Salve Iemanjá! Salve o Povo do Oriente! Salve os Marinheiros!






Família Tulca em gira festiva em 09-12-17! Gratidão a todos pela linda homenagem, pela presença, pelo carinho e pela fé! Parabéns aos batizandos 2017! Que as bençãos de Pai Oxalá e Mãe Iemanjá proporcionem amor e paz a todos!

Oração à Mãe Iemanjá 
O teu mar, fonte de poesias e de encanto, enaltece o espírito de quem sabe ouvir o cantarolar das suas ondas...

Grande provedor de alimentos que nosso Pai Maior nos presenteou...

Acolhe a todos nós como um grande útero universal, querida Mãe de todos nós...

Aquela que alimenta, que ampara, que cuida, que ensina, que afaga...

E que, com a paciência de mãe, espera pelo crescimento espiritual de cada um...

Ajuda-me oh mãezinha, a compreender o fundamento maior do meu lugar no mundo, para que eu possa vencer as intempéries no caminho...

Para que eu possa continuar rumo ao Pai, apesar das pedras que me jogam a fim de que eu estacione...

Para que eu possa compreender e me fa…