Regimento Interno da Tulca


Regimento Interno da Tulca


REGIMENTO INTERNO DA TENDA DE UMBANDA LUZ E CARIDADE

Leitura obrigatória a todos os médiuns e aos que pretendem entrar para a corrente mediúnica da Tenda de Umbanda Luz e Caridade - Tulca.


INTRODUÇÃO:

O objetivo do Regimento Interno da Tenda de Umbanda Luz e Caridade - Tulca, é promover o conhecimento do funcionamento do Templo, com as leis e diretrizes que fomentam todas as atividades, bem como estabelecer parâmetro a nível de postura comportamental pessoal e de grupo, a fim de que seja mantida a ordem, a disciplina e o respeito imprescindíveis à harmonia da coletividade e ao bom desenvolvimento dos trabalhos.

O presente Regimento Interno se destina a todas as pessoas físicas que estão, ou que pretendam estar, participando ativamente da corrente mediúnica da Tulca, ou a quem interessar possa.

Uma vez concordando com os termos aqui apresentados e desta forma podendo adentrar à corrente mediúnica, é exigido o cumprimento e respeito a todos os quesitos deste Regimento, sob pena de ser desligado da corrente mediúnica.

Uma vez não concordando com os termos aqui apresentados, sugerimos não entrar para a nossa corrente, a fim de evitar perda de tempo para o médium e para a hierarquia do terreiro.


QUESITO PRIMEIRO:

A Tenda de Umbanda Luz e Caridade - Tulca, é um Templo religioso sem fins lucrativos, que se destina ao acolhimento e desenvolvimento espiritual dos seus membros, contribuindo para a expansão da consciência religiosa, fundamentando-se em Deus e nos Sagrados Orixás que regimentam todas as linhas de trabalhos que formam a Umbanda, com uma proposta Universalista Cristã.

A Tulca promove estudos sistematizados, Giras de Umbanda, Desenvolvimento Mediúnico e tratamento espiritual presencial e a distância.

A hierarquia a nível astral é composta das entidades espirituais que formam a coroa da médium fundadora dirigente e sacerdotisa de Umbanda Ednay Melo.

Todas as normas e diretrizes do Templo são determinadas pela hierarquia astral, através da mediunidade da sacerdotisa dirigente.

As entidades que formam a coroa dos demais médiuns, quando estes alcançam o grau de trabalho, todas têm autonomia, desde que respaldadas nas normas e diretrizes já estabelecidas na Tulca.

Em todas as fases dos trabalhos das entidades e médiuns, bem como no relacionamento interpessoal, deve-se prevalecer o respeito pelo ser humano e por toda a natureza que o cerca. Em caso de toda e qualquer dúvida, a palavra final sempre será a da dirigente do Terreiro.

É tarefa fundamental da Dirigente do Templo, manter a ordem e a disciplina, bem como a harmonia da corrente mediúnica, mesmo que para isto tenha que desligar médiuns da corrente e remetê-los para tratamento.


QUESITO SEGUNDO:

Princípios básicos da Doutrina da Tenda de Umbanda Luz e Caridade - Tulca:

Todas as nossas atividades são gratuitas

Não há imolação de animais e trabalhos em vias públicas, práticas de imolação de animais e despachos em vias públicas não é prática umbandista

Não há ingestão de bebidas alcoólicas em nenhuma hipótese durante os trabalhos, a abstinência alcoólica deve ser mantida 24 horas antes e 12 horas depois dos mesmos.

Não sujamos reinos da natureza

Não fazemos adivinhações para a satisfação da curiosidade

Não barganhamos com entidades espirituais 

Não fazemos amarrações e nenhum trabalho que prejudique a alguém

Nossa vestimenta é simples, discreta e na cor branca 

Dentro do terreiro não nos interessa os títulos adquiridos lá fora, todos são iguais em direitos e deveres.

A luz da nossa Umbanda está em Deus, Olorum, em Pai Oxalá sincretizado com o Cristo Jesus e nos Sagrados Orixás, que representam as forças da natureza e as qualidades primordiais do Criador.

Consideramos sete Orixás básicos e apenas estes são regentes de ori: Ogum, Oxum, Omulu, Oxossi, Iemanjá, Xangô e Iansã. Todos os demais Orixás a estes se completam e se convergem de forma harmoniosa. Fique claro que Orixá não é um espírito e sim uma vibração na natureza em potencial energético capaz de equilibrar toda a terra e seus habitantes. Dessa forma é impossível mediunicamente incorporar um Orixá, o que incorporamos a nível de terreiro são os seus enviados e representantes, estes sim são espíritos evoluídos que vêm trazer o axé do Orixá que representam, não necessitam usar a fala, tarefa específica dos Guias de Umbanda.

Pai Oxalá é considerado Orixá Maior e, portanto, Pai de todos nós. Não é regente de ori (não existem filhos determinados de Oxalá, todos são considerados seus filhos).

Em nossa doutrina, firmar, orar para o Anjo da Guarda é o mesmo que firmar e orar para toda a sua banda que lhe dá proteção, como guias, mentores e espíritos protetores.

A linha de trabalho na Umbanda que praticamos é composta por Caboclos, Pretos Velhos e Ibejis. A linha auxiliar de trabalho na Umbanda que praticamos é composta por Exus Guardiões, Marinheiros, Povo Cigano e Mestres Juremeiros. Todos espíritos em evolução, que já reencarnaram sobre a terra e são por nós chamados Guias de Umbanda.

Exus e Pombas Giras são considerados entidades espirituais em evolução, que trabalham na lei e na ordem. Espíritos de Luz que trabalham na vibratória e sob as ordens do Orixá Ogum. Não consideramos Exu Orixá, nem tampouco regente de Ori.

Acreditamos na lei de causa e efeito e na lei do karma e que as graças alcançadas são por merecimento de cada um.

Acolhemos a todos sem distinção de raça, credo ou posição social.

Não fazemos atendimentos fora do local e horário de funcionamento da Tenda.

Priorizamos o Ser Espiritual em detrimento dos valores mundanos.

Visitamos um reino da natureza pelo menos uma vez ao ano.

Na nossa doutrina, o filho(a) é quem procura o pai / mãe espiritual.


QUESITO TERCEIRO:

Atividades da Tenda:

Estudos sistematizados da Umbanda e da Doutrina Espírita.

Evangelização

Tratamento com passes magnético e espirituais

Fluidoterapia

Tratamento espiritual à distância

Tratamento de desobsessão

Giras de Umbanda

Atendimento com entidades de Umbanda


Recessos e Feriados:

Os único feriados na Tulca são carnaval, natal e ano novo. No carnaval o recesso é da semana pré-carnavalesca até a quarta-feira de cinzas. E no final do ano o recesso é a partir da segunda semana de dezembro até a segunda semana de janeiro.


QUESITO QUARTO:

Para adentrar à corrente mediúnica é necessário o conhecimento prévio, por parte do aspirante, da dinâmica do terreiro. Para isto faz-se necessário fazer parte da assistência (público visitante) por um período de no mínimo 12 meses, e por igual período, participar dos grupos de estudos.

É também requisito indispensável, o médium não está em tratamento físico, psíquico e espiritual, devendo aguardar o término do tratamento para adentrar à corrente.

Uma vez que tenha firme desejo em fazer parte da corrente, deve formalizar o pedido à dirigente e uma vez aceito pelo Guia Chefe espiritual da Tulca, enfatizamos que ele precisa ser aceito, ele passa a fazer parte da Egrégora assumindo o compromisso em respeitar e fazer cumprir todos os quesitos deste instrumento regimental.

Para capacitar-se mediunicamente é preciso obedecer as fases de todo o processo de desenvolvimento, ter fé e perseverança e, acima de tudo, humildade para assumir com alegria toda e qualquer atividade indicada pela hierarquia da Tulca, entre elas ajudar na limpeza material da casa.

Graus de médiuns na Tulca: Médium Aspirante, Cambone, Médium de Passes, Médium de Trabalho (suas entidades dão consultas); Médium Auxiliar de Terreiro. A elevação de graus será de acordo com o desenvolvimento gradativo e particular de cada um. A Tenda não aceita o grau do médium dado por outro Templo, tendo que recomeçar do zero sempre.

Toda receita emitida durante as consultas espirituais (médiuns de trabalho) deve ser analisada e liberada ao consulente pela sacerdotisa do Templo.

O Sacramento do Batismo de médiuns não é obrigatório e é realizado uma vez ao ano, diante do livre e consciente desejo do médium. Aberto ao público adulto em geral.

O médium neófito permanecerá na corrente na qualidade de médium aspirante por no mínimo 6 meses até receber o seu primeiro amaci, ritual que o consagra filho da corrente espiritual de Umbanda, lhe proporciona equilíbrio mediúnico e sintonia com seus Orixás regentes de ori.

O ritual do amaci é obrigatório e anual. Na Tulca este ritual acontece nos meses de março e setembro, em grupos de médiuns diferentes.

É necessário ter a consciência religiosa de que todos os Orixás são importantes para o equilíbrio e harmonia do médium, não devendo este alimentar preferências, nem fanatismos por apenas um ou dois orixás.


Será encaminhado para a assistência do Terreiro, rotina algumas vezes necessária a todo médium:

Médium com algum desequilíbrio físico, psíquico ou espiritual

Médium que faltar às atividades do Templo por 3 vezes consecutivas, sem justificar a ausência (sem prévio aviso)

Por qualquer outro motivo antes acordado pelo médium e hierarquia do Templo

Por indicação da hierarquia astral


Será desligado da corrente:

Médium que transgredir os quesitos deste regimento

Médium que faltar às atividades do Templo por 6 vezes sem justificativa (sem prévio aviso)

Por indicação da hierarquia astral


É terminantemente proibido ao médium:

A quebra de sigilo das consultas espirituais, devendo estas serem comunicadas apenas a sacerdotisa, em caso de dúvidas.

Fazer qualquer tipo de comentário dentro e fora do Templo, a respeito das pessoas e dos trabalhos desenvolvidos no mesmo, devendo procurar apenas a sacerdotisa dirigente em caso de dúvidas ou reclamações.

Fazer qualquer comentário sobre outros Templos de Umbanda, qualquer dúvida procurar somente a sacerdotisa.

Incorporar em sua residência ou em qualquer lugar fora do seu Terreiro, diante da necessidade pedir permissão aos seus dirigentes.

Toda comunicação entre médiuns e dirigentes quando fora do Templo é, preferencialmente, por via e-mail. É proibido repassar os e-mails enviados exclusivamente para o grupo dos médiuns Tulca.


São deveres do médium na Tulca:

Respeitar e fazer cumprir este regimento.

Não ter nenhum vínculo com corrente mediúnica de outro Templo, devendo desapegar de ideias e conceitos ritos litúrgicos anteriormente adquiridos para estar aberto ao novo, na nova casa.

Pontualidade

Avisar com antecedência se precisar faltar

Contribuir com uma taxa para a manutenção material da Casa.

Contribuir para a manutenção espiritual do seu Templo, doando material de culto periodicamente, que é a sua própria firmeza e proteção.

Cumprir todos os preceitos religiosos determinados pela hierarquia.

Em caso de impossibilidade financeira para as contribuições, comunicar para a hierarquia para avaliação do seu caso particular.

Respeitar a hierarquia e a todos os seus irmãos de santo e dedicar atenção e gentileza à assistência.

Adentrar ao Templo em silêncio e falar baixo quando precisar, mantendo a concentração desde o início através da música ambiente relaxante e disponível.

Orar e vigiar sempre: lutar contra os maus pensamentos.

Tomar banho com as ervas dos seus orixás nos dias de Gira de Umbanda e ervas de descarrego uma vez ao mês, com a orientação da hierarquia da Tulca.

Os médiuns aspirantes devem seguir preceito do banho de ervas orientado pela hierarquia.

Estar disponível às atividades em que se fizer necessário

Nos dias de atividades, chegar no Templo com duas horas de antecedência, para ajudar no que for preciso para os trabalhos daquele dia.

Ao término dos trabalhos ajudar na limpeza material do Terreiro.

Participar assiduamente das giras públicas, reuniões de desenvolvimento, grupo de estudos e outras atividades oferecidas pela Tulca.

Zelar e ter seu material de trabalho bem guardado e de fácil acesso nos dias de reunião, entre eles: - Guias (fios de contas) que devem ser guardadas num saquinho de tecido branco e levadas para serem guardadas cuidadosamente em casa - Roupa branca para os rituais - Toalha branca pequena e leve - Tocos (banquinhos pequenos) e cachimbos dos Pretos Velhos (médiuns de trabalho) - Papéis, canetas e pranchetas (cambone). O médium deve organizar todo material de suas entidades em uma caixa com o seu nome. No centro só é permitido guardar os tocos dos Pretos Velhos e o material dos cambones. 

Após o médium ser desligado da corrente e se por ventura esquecer algum material pessoal no centro, o mesmo será guardado por um período de até 6 meses, após este período, se não for procurado, será desprezado. Todo material de uso pessoal do médium desligado da corrente, será entregue devidamente desmagnetizado das energias da nossa Egrégora. Mesmo o material levado pelo médium que não comunica o seu afastamento, será também totalmente desmagnetizado, mesmo a distância.

Não usar suas roupas brancas nas ruas, devendo trazê-las na bolsa e trocar de roupa no centro.

Usar as roupas brancas em todas as atividades.

Ao adentrar e ao sair da Tenda, saudar as forças assentadas, quando chega: primeiro saúda e pede licença à tronqueira dos guardiões e depois ao congá e quando sai do templo: primeiro saúda o congá e por último a tronqueira.

Sempre bater cabeça no Congá e firmar o seu Anjo da Guarda antes do início das giras.

Em nossa doutrina, firmar, orar para o Anjo da Guarda é o mesmo que firmar e orar para toda a sua banda que lhe dá proteção, como guias, mentores e espíritos protetores.

Sempre bater cabeça aos Guias Chefes quando estes se apresentam.

Faz parte do ritual de Umbanda tomar a benção a hierarquia do Terreiro após saudar as forças do Templo.

Quando cantar o primeiro ponto do Pai e Mãe Orixá, "bater cabeça" num ato de respeito e humildade e pedir benção, paz, equilíbrio e segurança mediúnica.

Procurar aprender os gestos de saudação do congá, da tronqueira e de cada Orixá, bem como aprender os pontos cantados.

Manter uma vela de 7 dias branca acesa para o seu Anjo da Guarda, em sua residência, num local reservado. Ponha um copo d´água na frente da vela e renove-o a cada 7 dias. Crie o hábito de orar para o seu Anjo diariamente.

Procurar, ao máximo, manter a harmonia interior ao adentrar a Tenda.

Procurar ajudar no que puder na limpeza material e manutenção do seu terreiro.

Todo médium para participar de qualquer trabalho espiritual na Tulca, deve abster-se de carnes vermelhas, bebidas alcoólicas, sexo e contrariedades, nas 24 horas antes e nas 12 horas após o trabalho espiritual.

É terminantemente proibido, dentro e fora do terreiro, fazer comentários acerca dos trabalhos do templo e das pessoas que o compõem. Qualquer dúvida ou insatisfação devem ser comunicadas imediatamente a sacerdotisa, de forma particular, para os devidos esclarecimentos e tentativa de harmonização.

É proibido fazer comentários sobre pessoas e tudo que se refira a outros Templos de Umbanda.

A comunicação dos médiuns da Tulca é feita basicamente por via e-mail. É terminantemente proibido repassar os e-mails enviados exclusivamente para o grupo de e-mails dos médiuns da Tulca.


Aos Médiuns e Visitantes:

É proibido fotografar, gravar vídeos ou áudios no interior do Templo, exceto com a autorização da dirigente.

É proibido divulgar em redes sociais, ou outro meio de comunicação, as imagens (fotos, vídeos) ou áudios de pessoas e objetos da Tulca.

É proibido criar sites, blogs, grupos em redes sociais, WhatsApp, etc, com o nome da Tenda.

É proibido representar a Tenda em qualquer local ou circunstância, exceto com a autorização da dirigente.


P.S.Qualquer questão sobre o Templo que por acaso não conste neste regimento, será avaliada, julgada e determinada normas e sanções disciplinares, pela sacerdotisa dirigente da Tenda de Umbanda Luz e Caridade.

Recife, 02 de janeiro de 2015

Ednay Melo
Sacerdotisa Dirigente da Tenda de Umbanda Luz e Caridade - Tulca







Comentários