28 de junho de 2014

Textual description of firstImageUrl

Dicas para visitar um Terreiro de Umbanda

Dicas para visitar um Terreiro de Umbanda

1) Este é um solo sagrado, tal qual uma Igreja, Templo ou Catedral. Se a sua noção de sagrado e profano não é bem definida, respeite tudo que está ao alcance de seus olhos;
2) Você está buscando auxílio e orientação espiritual. Este lugar não é uma Tenda de milagres e muito menos um balcão de supermercado. Seja coerente com o que você precisa. Se esta fisicamente doente, procure um médico. Se quer um namorado(a), vista-se bem, arrume o cabelo, tenha bom papo e frequente bons lugares para exercitar sua vida social;
3) Este espaço foi idealizado por um responsável que possui valores próprios acerca da religiosidade e espiritualidade. Cada casa tem um tempero, um enredo e um balanço. Não mexa na panela onde a comida não é sua. Se você não sabe lidar com diferenças e diversidades, fique em casa;
4) Na condição de médium de outro lugar, saiba entrar e sair. Não faça absolutamente nada sem ser chamado ou convidado. Aproveite o momento para apreciar outra forma de trabalho e enriquecer a sua bagagem espiritual. Se o que você esta vendo não condiz com as suas “verdades”, guarde para você;
5) Um atendimento espiritual não pode ter conotação de assédio moral ou sexual, muito menos perfil de bulling. Se você se sentiu constrangido com o atendimento, procure o responsável da casa. Somente ele pode resolver e não o desconhecido que está ao seu lado na assistência. Se você fala mal de um trabalho pelo bel prazer de fofoca, guarde a língua dentro da boca. Isso preserva os dentes;
6) Se você não gostou do que ouviu, porque o atendimento mexeu no seu ego ou em feridas não cicatrizadas, pague cerveja em um bar para um amigo. Ele vai lhe dizer coisas agradáveis aos seus ouvidos;
7) Em Roma, faça como os romanos: tenha postura, discernimento e bom senso. Um trabalho espiritual é muito maior do que você pode compreender. Mas se você faz parte do grupo que reclama de tudo e todos os lugares, abra uma Casa para você, com as suas regras e o seu jeito.
Boa sorte!
Jorge Scritori

Quero ler o post completo

26 de junho de 2014

Textual description of firstImageUrl

A Firmeza de Cabeça



firmeza de cabeça umbanda



Queridos irmãos, me vieram algumas questões sobre o que é a firmeza de cabeça, como firmar a cabeça para facilitar a incorporação e trazer um mentor mais firme ao corpo.

Primeiramente sei que o que irei postar aqui será extremamente polêmico, mas acho de extrema importância ressaltar para que o médium não busque o impossível.

Muitos médiuns se preocupam porque na sua incorporação eles conseguem ver ou ouvir tudo ou quase tudo, e que o seu sacerdote ou seu amigo não lembra de absolutamente nada, gostaria de enfatizar que isso não passa de uma falácia, uma vez o Sr. Chico Preto me disse:

“Mais vale a firmeza do médium ao seu nível de consciência durante a comunicação (Incorporação)”.

Eu sou umbandista há praticamente 13 anos, e há 8 anos estudo a Umbanda, visitando templos de prática umbandista, e afirmo com toda veemência, se já existiu incorporação inconsciente, eu nunca presenciei. Mesmo os iogues que dedicam grande parte da sua vida, chegando até a 12h de prática diária não conseguem desligar-se completamente do plano terreno, quem dirá nos umbandistas que praticamos a incorporação durante 4, 5 horas no máximo 3x por semana?

Podem observar em muitos dos meus posts, onde relato minha total ou parcial visão durante a incorporação, e asseguro-lhes que isso não impede e nem denigre meu trabalho, pelo contrário, ainda sou agraciado por certas experiências que nunca teria estando sozinho, o melhor disso tudo? Consigo ver gradativamente a melhora daqueles que solicitam a cura ou outras solicitações às entidades.

Portanto, não se prendam a firmar, firmar e firmar achando que somente a incorporação inconsciente é satisfatória e eficaz, muito pelo contrário, seria um processo extremamente caótico, você simplesmente doar seu corpo e o mentor fazer o resto, portanto, como relatei em meus posts: Médium burro = Entidade burra. Ela utilizará de seus recursos mentais, mediúnicos e físicos para amparar o consulente, portanto, é de sua obrigação possuir uma conduta ilibada para os trabalhos, aí já começa o seu trabalho de firmeza: Sua conduta fora do terreiro.

Só para concluir sobre a incorporação, não busque a inconsciência, busque a evolução, o sincronismo energético e vibratório entre você e sua entidade, conheci um medium consciente e nele ocorreu as minhas melhores consultas e nele também presenciei as mais fantásticas obras de cura.

Quanto mais ligado você estiver com sua entidade, melhor a eficácia dos trabalhos.

Agora voltando ao escopo do assunto, sobre o que é firmar e como firmar a cabeça.

Firmar a cabeça é o ato de dirigir a concentração ao ato de comunicação com sua entidade, seja incorporação, audição ou visão, é o ato de livrar a mente, meditar e concentrar na vibração da entidade.

O Ato de firmar a cabeça não tem uma receita ou uma maneira correta, porque ela é extremamente pessoal, mas existem algumas alternativas que propiciam uma melhora significativa na incorporação. E como se trata de fazer com que a energia tenha um sincronismo consistente para que facilite o trabalho da mediunidade proporcionando maior eficácia nos trabalhos, nada melhor do que pensarmos nos próprios protagonistas da situação: Os guias.

Segue abaixo algumas dicas para quem quiser praticar, já vi muita eficiência nos métodos que ilustrarei abaixo porque são métodos que transmiti aos filhos da casa:

- Depende de como funciona a casa do medium, se os trabalhos forem realizados aos sábados, o que acha de solicitar ao seu sacerdote, para passar o dia deitado em jejum até o almoço, após almoçar, voltar e ficar deitado em frente ao altar? Já que seus mentores estão familiarizados com a vibração da casa, nada melhor que você também se adequar a essa vibração, dedicando esse tempo à evocação de suas entidades, realizar pedidos e agradecimentos aos seus orixás, acender velas para os mais afins. Com esse método, que por acaso, realizava-o constantemente, comecei a adquirir maior vidência e a faculdade auditiva;

- Antes de dormir, que tal dedicar 10 min trazendo para perto seu caboclo, preto-velho ou o seu guia de firmeza (Aquele que vem com maior frequencia ou que se sente melhor em sua matéria para conversar)? Acender uma vela para o anjo da guarda é uma ótima pedida;

- Antes de começar os trabalhos, é natural ficar aquele bate-papo com os irmãos para saber como foi a semana. Não seria melhor você ficar quietinho no seu canto, acender uma vela pro seu orixá, pro seu guia e ali visualizar (Isso mesmo, utilize fundamentos do filme “O Segredo” porque são fundamentos de mais de 5000 anos já contidos nos Vedas, a escritura mais antiga do Mundo, na India) as graças que ele poderá realizar com a sua mediunidade firme;

- Estude pouco fundamentos, não procure ficar lendo livros infundados, nem meu blog pra ser sincero [risos], os seus guias te fornecerão o conhecimento necessário, eles saberão com que forma o seu corpo e sua vibração trabalha melhor, a maioria dos seus guias vieram da mesma colônia ou escola espiritual que você, é muito melhor acreditar neles do que em qualquer outra pessoa, acenda vela, faça pedidos, peça ensinamentos, e eles virão através da sua intuição, pode ter certeza;

- Sinta a exaltação, você dedicando esse tempo a eles, você começará a sentir certas coisas, como dar um grito de guerra do caboclo, um ponto de Umbanda que você fixou na mente, uma alegria inexplicável, são indícios que seu trabalho começará a render bons frutos;

- Seja persistente, acredite em você, você com a união deles não terá limites, você poderá começar a realizar graças até mesmo desincorporado, a união vibratória será tanta, que você também herdará algumas faculdades deles, seja a cura, a consulta, a visão.

O caminho não é fácil, como tudo na vida, requer dedicação, tempo e amor, mas asseguro-lhes com toda certeza, o resultado é inenarrável, é maravilhoso, você começará a ter amizade com eles, sentirá, ouvirá, é maravilhosa a sensação. Esforce-se, o hinduísmo diz que para todas as práticas, temos que ter as três ações: Paciência, Prudência e Perseverança. Isso também ocorre na prática umbandista.

Lembre-se, a Umbanda é uma troca, de tempo, energia caridade, quanto mais preparado estiver em sua comunhão com o Mundo Espiritual, maior a Força que terá para continuar realizando o trabalho. E lembrem-se sempre, a limitação está sempre na cabeça de vocês!

Neófito da Luz






Quero ler o post completo

A Ética e a Moral nos Cultos Afro-Brasileiros


Ao contrário do que muitos pensam, a ética e a moral são de importância substancial no pensamento e na vida dos africanos, que são baseadas nos costumes, em leis tradicionais, tabus e tradições de cada um dos povos da África. Deus é visto como o derradeiro sancionador e sustentador da moralidade. O relacionamento humano pelo parentesco e vizinhança é extremamente importante e a ética e moral tradicionais são construídas, largamente, através das relações humanas. 



Moralidade pode ser resumida, em Yorùbá, pela palavra Ìwà - caráter. Caráter é a essência da ética africana e sobre ele se estabelece a vida de uma pessoa. Deus exige que o homem seja puro eticamente. Deus é o buscador de corações, que a tudo vê e sabe e cujo julgamento é correto e inevitável. Deus julga os homens por seu comportamento aqui e agora, bem como no porvir. Dessa forma a paz na vida após a morte é decidida de acordo com a moral exercida, pelo ser humano, sobre a terra. Mau comportamento pode destruir o destino de uma pessoa, enquanto bom caráter é uma armadura suficiente contra o mal e a desgraça.


Os costumes regulam o que deve e o que não deve ser feito. De acordo com Mbiti: "Roubar, agredir as pessoas, mostrar desrespeito aos mais velhos, mentir, praticar feitiçaria, dormir com a mulher de alguém, matar, caluniar as pessoas e assim por diante são consideradas grandes ofensas, que podem ser severamente punidas pela sociedade através do degredo, indenização, pagamento de multas, espancamento, apedrejamento e até mesmo a morte. Por outro lado, a bondade, a cortesia, a generosidade, a hospitalidade, o respeito, a diligência, a frugalidade e o trabalho duro são aspectos da moral ensinadas às crianças em várias comunidade africanas, como princípio básico de vida." (Mbiti, John. Introduction to African Religion. London:Heinemann, 1961)


Os Yorùbá e, na verdade, os africanos têm a moralidade como a essência que torna a vida alegre e agradável. Para os Yorùbá, segundo Bólájí Ìdòwú, o bom caráter (ìwà rere) deve ser a mola mestra na vida das pessoas. De fato é isso que distingue o ser humano dos animais. Quando os Yorùbá dizem de alguém O şe Ènìyàn (os atos da pessoa), querem dizer que ela se comporta como deve, ou seja, ela mostra que sua vida e suas relações com os outros são regrados pelas suas melhores características. A descrição contrária kìí şe ènìyàn, n şe lof’awon ènìyàn bora (Ele não é uma pessoa, ele assumiu a pele de uma pessoa). Isso significa que a pessoa é socialmente indigna; em consequência de sua característica, não está apta a ser chamada de pessoa, embora tenha a aparência de uma.


Em geral, deve-se dar ênfase a que Deus, as divindades e os antepassados requerem um bom comportamento dos seres humanos.


Mas podemos perguntar por que as pessoas que seguem a Religião Tradicional Africana, assim como os seguidores de outras religiões (cristianismo, islamismo, judaísmo, hinduísmo etc), praticam atos imorais? A resposta é simples: hoje, muitas pessoas professam uma determinada religião, porém deixam de agir de acordo com os princípios e os ditames dessa mesma religião, que é a principal causa para os atos de corrupção, violação dos Direitos Humanos, péssimas práticas eleitorais, etnicismo, bem como outras práticas imorais e aéticas.


No entanto, esses problemas não são insuperáveis, basta que as pessoas façam valer aquilo que aprenderam e unam a religião à moralidade, que são coisas indissociáveis. Um adágio Yorùbá diz Ìwà l’èsìn, Èsìn ni Ìwà (religião é uma exibição de moralidade, moralidade é o maior ato de adoração). Por isso é que os adeptos das diversas religiões devem saber e acatar que nossos atos de adoração só se tornarão dignos e significativos ao Criador, se eles forem acompanhados pela ética e pela moral. 

Mário Filho




 

Quero ler o post completo

23 de junho de 2014

Textual description of firstImageUrl

Decálogo para Médiuns

Decálogo para Médiuns


Não afastar-se dos deveres e compromissos que abraçou na vida, reconhecendo que é impossível manter intercâmbio espiritual claro e constante com o Plano Superior, sem base na consciência tranquila.

Não descuidar-se do autodomínio, a fim de controlar as próprias faculdades.

Não ignorar que desenvolvimento mediúnico, antes de tudo significa educar-se o médium a si mesmo para ser mais útil.

Não desejar fazer tudo, mas fazer o que deve e possa no auxílio aos outros.

Não recusar críticas ou discussões e sim aceitá-las de boa vontade por testes de melhoria e aperfeiçoamento dos próprios recursos.

Não guardar ressentimentos.

Não fugir do estudo, nem da disciplina para discernir e agir com segurança.

Não relaxar a pontualidade, somente faltando às tarefas que lhe caibam por motivo de reconhecida necessidade.

Não olvidar pessoas nos benefícios que preste.

Não olvidar que o melhor médium para o mundo espiritual, em qualquer tempo e em qualquer circunstância, será sempre aquele que estiver resolvido a burilar-se, decidido a instruir-se, disposto a esquecer-se e pronto a servir.

Fonte: "Paz e Renovação" Albino Teixeira - Chico Xavier 



Quero ler o post completo

22 de junho de 2014

Textual description of firstImageUrl

HOMENAGEM TULCA AO ORIXÁ XANGÔ


KAÔ KABECILÊ!!!

Homenagem a Xangô


Obrigado meu pai por mais um ano de luzes e bençãos em nossos caminhos!


Homenagem a Xangô


Que a vossa justiça persevere sempre em benefício dos humildes e pacíficos!

Homenagem a Xangô


Homenagem a Xangô


Que a nossa fé seja sempre firme como a vossa rocha, para que a maldade dos tolos jamais nos alcance! 


Homenagem a Xangô

                           
E sobre vossa luz e de todos os Orixás, levaremos a bandeira de Pai Oxalá adiante!


Homenagem a Xangô


Homenagem a Xangô

Que sejamos merecedores das dádivas divinas do nosso Pai Xangô, seja ele Abomi, Agodô, Alufam, Alafim ou Aganju! São todos sempre uma só vibração e qualidade do nosso Criador Pai Olorum, a "refletir a Sua luz com todo o seu esplendor!!!" 



SARAVÁ UMBANDAAAA!!!

Família Tulca, em 21/06/2014



Quero ler o post completo

21 de junho de 2014

Textual description of firstImageUrl

Características Gerais de Algumas Ervas



ervas na umbanda


Para banhos e (ou) defumações com várias finalidades 

Arruda – Ótimo protetor astral, desagrega larvas astrais e energias enfermiças. Quebra as formações energéticas negativas resultantes de acúmulos de pensamentos negativos e de atuações do baixo astral.

Alecrim– Desagrega energias enfermiças, limpa e purifica o ambiente, criando uma “esfera” de proteção; boa contra obsessão; afasta a tristeza.

Alfazema – Ajuda a equilibrar nossas energias, limpa e purifica o ambiente trazendo a paz e harmonia.

Anis-estrelado – Atua melhorando nosso humor; desperta a intuição; torna o ambiente agradável e desagrega energias negativas.

Absinto – Losna – Em banhos,ela desagrega fluidos negativos. Na defumação, afasta influência negativa.

Alho (casca) – Desagrega as energias negativas de ordem sexual, protege contra influências negativas e purifica o ambiente.

Artemísia – Quebra as correntes de pensamentos negativos e traz proteção.

Bambu – Contra influências negativas.

Botões de flor de laranjeira – Para o amor.

Camomila– Calmante, contra depressão e ansiedade.

Cana-de-açúcar (palha e bagaço) – Dá força e vigor para enfrentar as situações do dia a dia.

Canela– Condensador de fluidos benéficos, destrói miasmas astrais; afrodisíaco; atrai a prosperidade.

Cebola (casca) – Desagrega energias negativas de ordem sexual; afasta fluidos indesejados.

Capim limão / Capim Santo – Bom para acalmar e trazer bons fluidos.

Cravo – Afrodisíaco, estimulante, aumenta o magnetismo pessoal e atrai a prosperidade.

Eucalipto– Desagrega as energias negativas e enfermiças, renova nossas energias, equilibra o emocional.

Erva Doce– Acalma e harmoniza o ambiente, desagregando energias enfermiças e nocivas.

Girassol (folhas) – Excelente condensador de fluidos positivos; ajuda a aguçar a intuição.

Guiné – Quebra formas-pensamento baixas e ajuda na comunicação com os bons espíritos. Bom contra obsessões de natureza sexual.

Hortelã – Bom para proteção e contra o desânimo.

Ipê amarelo – Para harmonizar ambientes.

Laranja (flor, folhas e casca) – Estimula o amor nos tornando mais atraentes; também torna o ambiente mais agradável e “leve”.

Levante – Bom para proteção e abertura de caminhos.

Limão (casca) – Queima os fluidos negativos e enfermiços.

Lírio – Bom para nos tornar mais puros, simples e humildes; estimula nosso lado compreensivo e amoroso.

Louro (“a folha do sacerdote”) – Excelente para aguçar a intuição e para a prosperidade.

Maçã (folhas, flores e casca) – Desperta nossa sensibilidade ao amor e aumenta nosso poder magnético de atrair o que nos agrada.

Malva – Acalma e desperta a sensibilidade.

Manjericão – Ótimo para tirar as energias negativas, trazer vida ao ambiente e às pessoas; aumenta o magnetismo pessoal; atua contra a depressão e ansiedade.

Maracujá (flor) – Para fortalecer nossos laços de amizade.

Melissa – Acalma os ânimos e nos torna mais alegres; limpa e sutiliza o corpo astral.

Morango (folhas e fruto) – Desperta o prazer em todos os sentidos.

Noz moscada – Aguça a intuição, ajuda na comunicação astral e é boa para a prosperidade.

Poejo – Ótima para proteção e para acalmar os ânimos.

Pitanga (folhas) – Prosperidade e proteção.

Patchuli – Bom para o amor, a prosperidade e a intuição, fortalecendo o magnetismo pessoal.

Salsa – Usada para a proteção, afasta a negatividade.

Sálvia– Considerada a erva da saúde, serve para limpeza, proteção e intuição.

Rosa branca – Desperta o amor à espiritualidade.

Rosa vermelha - Desperta a paixão.

Rosa cor-de-rosa – Desperta o amor maternal, filial e fraternal.

Romã (casca e flores) – Utilizada para a prosperidade, protege contra as emanações provindas da inveja e do ódio.

Orquídea – Desperta a libido.


Observação de Adriano Camargo: Ao trabalhar com as essências das ervas, banhos ou defumação, estamos entrando em um universo vegetal que vai além da matéria. Assim como não somos apenas carne e as divindades não são apenas arquétipos, as plantas também possuem um “espírito vegetal” que as anima e têm seus respectivos gênios e divindades guardiãs responsáveis pela força vegetal. Portanto, ao trabalhar com ervas, entre em contato com estes espíritos, gênios e guardiões vegetais pedindo sua licença e sua força para realizarmos nossa tarefa. Dentro do conceito de divindades podemos recorrer a Oxóssi como Guardião do reino vegetal e a Ossain como gênio deste reino e da cura pelas ervas.


Receitas de Banhos e Defumação

Para depressão e purificar a aura: Salsinha, anis-estrelado e alecrim

Acabar com os males e desagregar energias negativas: Banho de cerveja

Prosperidade financeira: Salsinha com noz-moscada

Para ajudar no comércio: Alecrim, abre-caminho, hortelã, levante, girassol, cana, açúcar mascavo. (Fazer banho, defumação e passar no chão do escritório ou loja.)

Para o amor: Anis-estrelado, calêndula, rosa vermelha, patchuli, malva branca e jasmim.

Para atrair a sorte: Milho de galinha, abre-caminho, café e açúcar mascavo.

Purificar o espírito e fortalecer o mental: Levante, alecrim e hortelã.

Para a saúde, ajuda a fortalecer pessoas debilitadas: Banho de leite com levante (feito às terças e quintas feiras).

Para prosperidade: Pó de café, açúcar, louro, manjericão, folha de pitanga, hortelã.

Para descarga forte: Folhas de eucalipto, casca de alho, palha ou bagaço de cana (seco), folha de bambu, folha de pinhão roxo.

Para descarga de energias sexuais densas: Cravo, canela, casca de alho roxo, erva-doce, casca de limão.

Para cansaço ou depressão: sementes de girassol, semente de imburana, anis-estrelado. (Exercícios respiratórios ajudam muito. Deixar no ambiente o preparado com essas ervas, de modo que o vapor fique no ar; respirar com calma, sem pressa e sem esforço.)

Contra a insônia: Pétalas de rosa, erva-sândalo, hortelã e cravo da Índia.

Para afastar a obsessão e alcoolismo: Alho, salsão, arruda, guiné, espada de São Jorge, folha de fumo, folha de mangueira, levante e cipó mil-homens

Para abrir caminhos: Açucena, agrião, angico, aroeira e espada de São Jorge

Para ajudar no desenvolver da espiritualidade: Jasmim, anis-estrelado e alfazema.

As ervas acima servem para banhos e defumações. Para defumar, as ervas precisam estar secas.

DEFUMAÇÃO para prosperidade: Noz moscada, cana, incenso (resina) , folha de louro, canela em pó, arroz com casca e alfazema

DEFUMAÇÃO para descarrego de energias pesadas: Manjericão, alecrim, mirra (resina), alfazema e arruda.

(Obs.: O incenso e a mirra são resinas e servem apenas para defumação. NÃO se usa resina para banhos.)


Fonte: Artigos de Adriano Camargo, publicados no Jornal de Umbanda Sagrada

Quero ler o post completo

19 de junho de 2014

Tratamento Espiritual


Um tratamento Espiritual à base de orações, passes, atendimento pelos Guias Espirituais, banhos, firmezas etc. sempre nos beneficia.

Mas pode não haver uma resposta imediata para o problema que nos afligia e que nos levou a buscar ajuda Espiritual. É comum ficarmos muito ansiosos, às vezes querendo uma solução “pra ontem”... Quando a resposta não é imediata, vem a aflição, a dúvida, parece que nada faz efeito... Isso quando não há uma reviravolta, parecendo que tudo ficou ainda pior...

Como entender isso?

Um tratamento Espiritual tem como principal objetivo trazer equilíbrio para o nosso campo magnético, ou seja, limpar, equilibrar e harmonizar as energias do nosso Espírito, da mente e do corpo físico. Essa harmonização irá favorecer o nosso bom desempenho nos vários setores da nossa vida e atrair prosperidade e abundância tanto Espiritual quanto material. Depois, compete a cada um cuidar da sua saúde Espiritual, mental, emocional e física, para que os resultados desse tratamento surjam e se mantenham positivos.

Não podemos esquecer que nós somos Espírito, mente e corpo físico. Esses três “corpos” funcionam interligados, o que acontece em um deles reflete sobre os outros. Para ter uma vida próspera, precisamos cuidar bem desses três aspectos.

O Espírito é a nossa Essência Divina. Quando bem cuidado (com orações, reflexão, respeito por si mesmo e pelos outros etc.), torna-se “o comandante ideal” para nos direcionar a uma vida mais plena e feliz, em todos os setores. Logo, descuidar do Espírito prejudica nossa paz interior e também o bom funcionamento da mente e do físico.

Por sua vez, a mente equilibrada recebe com tranquilidade o comando do Espírito, então gera pensamentos e emoções saudáveis e assim favorece o bom funcionamento do corpo físico. O estudo dos chakras nos mostra como as Energias Divinas são absorvidas pelo nosso campo magnético e como atuam diretamente sobre determinados órgãos físicos, promovendo o equilíbrio geral da nossa estrutura Espiritual, mental e física. Os reflexos do equilíbrio mental e emocional são mais visíveis no campo dos relacionamentos (amor, amizade, laços de família, parcerias etc.), mas atingem igualmente os demais setores da nossa vida (profissional, financeiro, saúde física, enfim, tudo). Descuidar da mente prejudica a qualidade dos pensamentos e emoções, perturbando o Espírito e também o físico. A ciência já comprovou que muitas enfermidades têm origem em pensamentos e emoções negativos.

Finalmente, um corpo saudável torna-se boa ferramenta para o trabalho da mente e do Espírito encarnado (alma). Descuidar do corpo prejudica não apenas a saúde física, mas também a mente e o Espírito.

Em resumo, precisamos nos cuidar por inteiro: no Espírito, na mente e no corpo físico.

Ora, um tratamento Espiritual vai trabalhar todos esses aspectos. Isso pode levar algum tempo. Enquanto a harmonização das nossas energias não acontece, os resultados imediatos que buscamos podem não ser visíveis. É algo parecido com o trabalho de construir uma casa: o terreno precisa ser limpo e aplainado, com a retirada do excesso das águas subterrâneas, para a preparação da base sobre a qual será feita a edificação; depois começa o levantamento das paredes; em seguida se faz a cobertura; e finalmente vem a fase de acabamento. O resultado esperado é a casa pronta, demora um pouco. Durante o processo, tudo parece revirado, bagunçado, pode haver imprevistos, às vezes dá vontade de desistir... Precisamos ter paciência e um bom planejamento, para chegar à etapa final. Então veremos que valeu a pena, vamos entrar numa casa nova, com as acomodações que idealizamos!...

Durante um tratamento Espiritual acontece algo semelhante.

Enquanto a Espiritualidade Superior está limpando determinadas energias, podemos sentir algum incômodo, ou começar a perceber coisas que antes não estávamos enxergando e então imaginar que aquilo foi causado pelo tratamento. Pode parecer que tudo ficou pior do que estava antes...

Na verdade, a limpeza Espiritual do ambiente também limpa a nossa percepção, é como se antes olhássemos através de um vidro sujo: não percebíamos claramente as coisas ao nosso redor. Quando esse “vidro” fica limpo, passamos a enxergar melhor. E aí começa o trabalho individual, a necessidade de cada um cuidar de si mesmo e verificar onde não estava agindo tão bem quanto poderia, e então analisar como poderá melhorar-se e manter-se o mais equilibrado possível, para ter uma vida melhor.

Um Guia de Luz não interfere em nosso livre-arbítrio. Os Guias trabalham dentro da Lei e da Justiça Divinas, e fazendo apenas o que lhes é permitido fazer em nosso benefício. Daí em diante, a tarefa é nossa!

Precisamos refletir sobre a nossa forma de viver, analisar as necessidades de mudança, fazer uma renovação positiva das nossas crenças e valores. Se nós desejamos mudanças em nossa vida, precisamos mudar internamente! É a Lei da Atração. Não é justo querer que alguém faça por nós o que é da nossa responsabilidade. Pedir ajuda é prova de humildade e inteligência. Mas querer que façam por nós é algo que desrespeita as Leis Divinas, lembra muito o desejo de se apropriar do que não nos pertence...

A Bíblia fala de um período de sete vacas gordas seguido de um período de sete vacas magras, aconselhando que se guardem recursos no período de abundância para a nossa sobrevivência no período de escassez. E é possível perceber que há momentos na vida em que passamos períodos de muita tranquilidade, para depois enfrentar épocas de crise. O “sete” pode representar os 7 Sentidos da Vida (Fé, Amor, Conhecimento, Justiça, Lei, Evolução e Geração), ou seja, os caminhos de aprendizado que precisamos seguir para nossa evolução. Significa que tudo isso é necessário para o nosso crescimento Espiritual!

De fato, aprendemos com as dificuldades criando alternativas e nos adaptando, até alcançar novos períodos de estabilidade. Inclusive para aprender a agradecer e valorizar os períodos de fartura que já tivemos. São ciclos que se alternam, trazendo mais equilíbrio. Estamos aqui para aprender a aceitar isso e aprender a lidar com essas situações. Reclamar e revoltar-se não adianta, não muda coisa alguma...

O importante é que procuremos ajuda Espiritual para ter coragem, determinação e paciência no momento de atravessar os períodos de vacas magras. Sabendo que a nossa Essência Divina é a Fonte do nosso progresso, vamos confiar e trabalhar para atingir outro período de vacas gordas. Até que um dia possamos nos reunir com o Divino Criador, sentindo-O em nosso íntimo e vivendo em Infinita Abundância e Prosperidade, pois este é o nosso destino.

Seja como for, Deus está conosco. Sempre, em todos os momentos e em todos os lugares e circunstâncias. Ele está dentro de nós, na Essência de Luz que nos doou no momento da nossa Criação. Está também em torno de nós, porque toda a Criação Divina contém a Essência Perfeita do Divino Criador. Ter isto em mente, crer nisto com todas as nossas forças é o combustível que precisamos para atravessar quaisquer caminhos. Vamos, então, nos dedicar a aprender e a aceitar que a Luz do Divino Pai-Mãe da Criação seja a nossa Guia.

Paz e Luz a todos!

Maria de Fátima




Quero ler o post completo

17 de junho de 2014

Textual description of firstImageUrl

Flores da Umbanda





flores na umbanda



Há uns anos atrás, li um texto no qual Chico Xavier falava que, para melhorar a energia de um lar ,bastava plantar rosas no jardim. Comecei então a plantá-las, na casa de meus pais. Aqui no sítio bem que tentei, mas o cavalo as tratou como iguarias culinárias. Na Umbanda o uso das flores é muito importante, sendo que seu uso iniciou com a própria religião.

Todo evento da criação da Umbanda, pelo médium Zélio de Morais em 1908, começou com ele levantando,no meio de uma sessão espírita, falando: "Aqui está faltando uma flor". Saiu da sala indo ao jardim e voltando após com uma flor, que colocou no centro da mesa. Essa atitude causou um enorme tumulto entre os presentes. Restabelecidos os trabalhos, manifestaram-se nos médiuns kardecistas espíritos que se diziam pretos escravos e índios.

Desde o início da humanidade, as flores foram associadas com o Sol, por se voltarem para ele,e , assim como ele dissiparem a escuridão, simbolizando a energia vital, o final do inverno e a vitória sobre a morte. O Lírio de Oxum por exemplo, segundo a mitologia antiga, teria nascido do leite de Hera, que gotejava na Terra no mesmo tempo em que era criada a Via Láctea. Outra lenda diz que o perfume dos lírios espanta serpentes e por parecer com um cetro aparecem em muitos brasões de famílias da Europa antiga.

De todas as flores talvez a que mais tenha poder em nosso espírito seja a rosa. Na antiguidade, esta flor remonta o mito de Adônis , o amado de Afrodite, de cujo sangue teriam brotado as primeiras rosas, assim se tornaram símbolo do renascimento e do amor que sobrevive a morte.No século 1a.C. os romanos faziam uma Festa das Rosas em homenagem a seus mortos, e até hoje na Itália o domingo de Pentecostes é considerada a "Páscoa das Rosas".

Em contraposição no culto a Dionísio, deus do Vinho, era comum as pessoas se coroarem de rosas,pois acreditavam que abrandava o calor da bebida e impedia que alcoolizados contassem seus segredos, por este motivo ela se tornou também símbolo da reserva e da discrição. Assim esta flor começou a ser desenhada em cima dos confessionários - "sub-rosa", ou seja, sob o signo do silêncio e da discrição. Na iconografia eclesiástica tornaram-na a "Rainha das Flores" simbolo da rainha celeste,Maria.

Enquanto as rosas vermelhas representam desde os primórdios o amor terreno, as brancas são relatadas em sagas e lendas como a flor que simboliza a morte. Os alquimistas viam nas rosas brancas e vermelhas o sistema dualístico com elementos dos dois princípios originários: o enxofre e o mercúrio. A rosa vermelha também é considerada nas tradições antigas, um símbolo de honra nas guerras para os oficiais do exército-em especial os romanos- pois Marte (deus da guerra) teria nascido de uma rosa.

Uma gira de umbanda tem o formato de uma flor, onde o veio principal de energia - o caule- vem do congá. São muitas as flores de Umbanda, as que representam a sabedoria, a discrição como os pretos e as pretas velhas, a vitalidade e a batalha diária pela vida como os caboclos, a alegria das cores da existência como as flores das crianças, ciganas e boiadeiras, e dos necessários resgates como os das pomba-giras.

Na minha opinião ainda de aprendiz, talvez a mais importante flor que exista na Umbanda seja a que floresça no coração do médium,que deva ser sempre cuidada com verdade, amor, caridade e consciência de que nosso invólucro é provisório, porque é dela que virá o perfume que envolverá outros em seu caminhar. Saravá!


Por Andréa Deren Destefani 







Quero ler o post completo
Textual description of firstImageUrl

O Uso dos Ponteiros nos Rituais de Umbanda


ponteiros na umbanda

Todos os tratados de magia fazem referência às pontas de aço como um dos meios mais eficazes de se desenvolver certas cargas ou aglomerações de larvas, maus fluídos e miasmas.

Os antigos iniciados usavam nas suas operações mágicas a espada e as pontas de aço, assim como atualmente se usa os ponteiros (punhal) nos trabalhos da Umbanda, pois a ação das pontas de aço, isto é, da espada e dos ponteiros em certos trabalhos de magia nada mais fazem do que faz um pára-raios em dias de trovoada.

Ponteiro é qualquer instrumento pontiagudo, de aço, punhal, espada ou pequena lança, utilizado em diversos rituais umbandistas. Em função do poder que tem o aço de captar as forças vivas da natureza, inclusive os fenômenos atmosféricos[1], o ponteiro representa a atração das forças espirituais, tal como um imã utilizado como força criadora de energia elétrica.

Quando fincado, ele firma a magia, ou seja, firma o ponto. Sendo o ponteiro imantado, capta as forças necessárias para o fechamento de um ponto nos trabalhos magísticos.

Quando ele penetra na matéria física,[2] aprofunda-se nos planos etéreo e astral, alterando constantemente a matéria propiciando um campo eletromagnético que podem desestruturar larvas astrais. Funciona como se fosse um fio terra para algumas cargas ou então como captador de energias movimentadas em determinados locais.

[1] Um exemplo disso é o pára-raios.
[2] Geralmente a madeira.

Diamantino Fernandes Trindade



Quero ler o post completo
Textual description of firstImageUrl

Ser Dirigente Espiritual é Fácil?


Muitas vezes me pego a refletir sobre isso, e fico observando as pessoas, dentre elas médiuns e consulentes e eu acho que as pessoas pensam que ser dirigente é um parquinho de diversão. Pois acreditem não é não, o dirigente lida com espíritos encarnados e desencarnados, lidar com o ser humano não é fácil. É as cobranças do dia a dia, a rotina, as responsabilidades da vida pessoal, família, trabalho mais as responsabilidades espirituais, obrigações, preceitos, aplicação de disciplina, doutrina e mais e mais.

As pessoas chegam no terreiro, tudo bem organizadinho, limpinho, não faltando nada, o dirigente sempre muito cortês e amigável, que maravilha. Mas se ele um dia estiver de pá virada, ah que dirigente mal educado, o dirigente estava calado, o pai e a mãe estavam emburrados, mas ninguém parou para pensar do porque o dirigente aquele dia não estava bem. Muitas pessoas acham que quando um médium se torna um dirigente espiritual é um término, na realidade é um início, uma sina, uma missão que apenas está começando, o médium passa por experiências, desenvolvimentos até que ele consiga chegar numa afinidade e sintonia com suas entidades plena, até o ponto que é dada essa missão e isso não se consegue facilmente, há muita dedicação, desprendimento, doação, caridade e fé e isso ao contrário do que muitos pensam não se consegue com um papel na mão, porque um diploma, por exemplo, não irá te dar essa bagagem, essa afinidade, hoje em dia vemos pessoas ostentando diplomas de dirigentes e muitas delas na realidade nem sabem nada sobre suas próprias entidades, como saberão lidar com as entidades de seus filhos?

Certa vez me perguntaram: "você tem saudade de quando você era uma filha de santo", eu disse nunca deixei de ser, mas sinto saudades do tempo em que não tinha tantas responsabilidades.

Todo mundo pensa que paciência e tolerância deva ser infinita, confesso que tenho bastante, para mim como dirigente sempre é muito difícil ter que retirar um filho de santo da corrente e dizer um NÃO, mas infelizmente alguns médiuns parecem que gostam de testar essa tolerância de seus dirigentes.

Perdi a conta de quantas e quantas vezes ouvi médiuns dizerem meu dirigente me tirou do terreiro, "EU NÃO FIZ NADA", pode ter certeza ele realmente NÃO FEZ NADA.

Um dirigente lida constantemente com espíritos e podem ter certeza que os espíritos não gostam de brincadeiras com eles, e eles cobram dos dirigentes doutrinas e posturas. Tem médium que chega no terreiro, parece que está numa pista de corrida, numa competição de quem incorpora primeiro, o espírito está uns dez metros de distância e ele já está lá na frente do altar, saracoteando, e o guia fica ali olhando de longe, só observando, extremamente anímico e muitas vezes chegando ao absurdo de uma mistificação e dá-lhe caras e bocas, tem horas que chega ao absurdo de esquecerem de interpretar se esquecem que estão ali com o suposto guia e você olha para o rostinho lindo do médium e ele desvia o olhar. Nossa para que isso? Muitos perguntarão, A PRESSA É INIMIGA DA PERFEIÇÃO. Aí muitos dirão o dirigente tem que corrigir, SIM TEM, o GUIA CHEFE TEM QUE DOUTRINAR, mas muitas vezes essa correção vem justamente em deixar esse filho ERRAR, principalmente quando esse filho já foi avisado, sabe aquela frase O SOFRIMENTO ENSINA, pois é ela cabe perfeitamente neste quesito. Mas uma hora a casa cai L I T E R A L M E N T E. E tipo... ou se conserta ou CONSERTA. Muitos até mais rigorosos dirão TIRA DO TERREIRO, mas como se diz uma casa espiritual não é para os SÃOS e essas pessoas precisam de ajuda e amparo, mas como tudo na vida tem limites.

O que muitos nem suspeitam é que muitas vezes o dirigente na sua rotina do dia a dia se depara lá com um guia, e o mesmo lhe diz olha fulano, olha o que está fazendo, cobra a orientação e a doutrina. Ou vocês pensam que os guias não se posicionam em relação a certas condutas. Isso é claro quando o zelador tem o dom da vidência.

Outra coisa que precisa ser esclarecido porque muitos tem uma visão bem errônea a respeito, o terreiro É DO PAI DE SANTO, NÃO é SÓ DO PAI DE SANTO, é de TODOS. Tem filho que acha que o dirigente tem que ficar correndo atrás dele avisando do que precisa e do que não precisa para o terreiro, vejam isso não é obrigação do dirigente é OBRIGAÇÃO DOS FILHOS DE SANTO, muitas vezes o dirigente avisa, para ter mais facilidade na organização, mas vamos deixar claro que isso não deve ser visto como regra.

Tem filho de santo que chega para uma confraternização na casa, uma festa de Oxossi, de Exu eteceteras, se ele chega e não tem nada, sai metendo a língua no dirigente e dizendo como pode isso, o altar não tinha flor, faltou a fruta do caboclo, a vela, nossa passei vergonha, levei um amigo e não tinha nada. Mas na grande maioria das vezes esse mesmo médium que julga e crítica é o mais sovina da tchurma. Sua geladeira tem cerveja, mas a fruta do Oxóssi, ahh Pai tô duro sem dinheiro. Mas quando precisa... hahahaha lá vem ele com a cestinha de frutas. E o zelador vai vendo tudo isso e pensando a cá com seus botões.

Fora outras mazelas humanas, como a inveja, a fofoca, o ciúme, o puxar de tapete, os puxa saquismos destrutivos e mais eteceteras.

E o dirigente de forma alguma pode ficar ABORRECIDO.

Se ele ficar ele não PRESTA MAIS.

Fora que existe aqueles filhos POSSESSIVOS, o TERREIRO É SÓ DELE E DE MAIS NINGUÉM, boicota a própria casa afastando as pessoas da mesma com o mal tratamento e a descortesia.

Aí um dia o dirigente está na rua passeando e encontra aquela pessoa que não está indo mais na casa, e conversa vem e conversa vai, ai sai a PÉROLA, desculpa mas adorava seu terreiro mas deixei de ir devido a MÁ EDUCAÇÃO DE FULANO, e o dirigente NÃO PODE FICAR BRAVO, SENÃO ELE NÃO PRESTA. KKK

Gente as vezes eu acho que deveria haver estágios como há nas empresas para alguns filhos de santo, deixar certos filhos de santo, como zeladores por uma semana, só para que eles sintam como é ser um DIRIGENTE, pode ter certeza muitos não passariam de um dia.

DIRIGENTE ESPIRITUAL TEM FÉRIAS?

Não. Não tem. Só se ele desligar o celular, o telefone, e viajar sem dar endereço.

Mas se ele fizer isso ELE NÃO PRESTA MAIS...

Por isso pessoal, ser dirigente espiritual exige DOAÇÃO, AMOR, FÉ, CARIDADE E MUITA VONTADE E PRAZER EM SE CUMPRIR SUA MISSÃO, caso contrário muitos ficam no meio do caminho, DESISTEM, se desgostam, fraquejam ou simplesmente optam por não sofrer mais. Conheci dirigente que simplesmente abandonaram a missão devido ao desgosto de lidar com o ser humano.

Muitos falarão falta de AMPARO ESPIRITUAL, nem sempre. Muitas vezes as próprios guias respeitam o livre arbítrio do dirigente percebem que aquele dirigente não está tendo forças para cumprir essa missão.

A missão de dirigente é muito bonita, é lindo ver um guia nascendo em suas mãos, aquele médium que nunca incorporou ter o sopro do guia através dos guias chefes do seu terreiro, ver aquele caboclo, aquele preto velho chegando e trazendo suas bênçãos, não tem preço que pague essa sensação e gratificação.

Mas ser dirigente, pode ter certeza, NÃO É LOUVOR, GLÓRIA, é uma sina, uma missão, muitos tentaram mas poucos chegarão no final.

Seu dirigente espiritual é um bom dirigente?

Você o admira?

Você tem amor por ele?

Então faça por merecer sua mão sobre sua cabeça, e tenha respeito, amor e consideração.


Cristina Alves






Quero ler o post completo

16 de junho de 2014

Tratamento Espiritual a Distância da Tulca


Caros irmãos

Diante da grande procura em nosso e-mail de pedidos de ajuda espiritual, disponibilizamos agora em nosso Blog o TED TULCA - Tratamento Espiritual a Distância da Tenda de Umbanda Luz e Caridade.

Acesse informações no link:




Quero ler o post completo

15 de junho de 2014

Textual description of firstImageUrl

Independência Umbandista


Independência Umbandista




O Umbandista, em verdade, pode e deve:

Estimular as boas obras, mas saber com que meios;

Ler de tudo, mas saber para que;

Andar em qualquer parte, mas saber para onde;

Cooperar no bem de todos, mas saber com quem convive;

Prosperar, mas saber de que modo;

Guardar a fé, mas saber porquê;

Agir quanto deseje, mas saber o que faz;

Falar o que queira, mas saber o que diz;

Lutar corajosamente, mas saber com que fim;

Elevar-se, mas saber como;

O Umbandista pensa livremente, mas precisa discernir.

Adaptação do Livro "Caminho Espírita" / Albino Teixeira - Chico Xavier


Quero ler o post completo

11 de junho de 2014

Textual description of firstImageUrl

Todo Sonho é um Desdobramento?



desdobramento




Desdobramento

Desdobramento é a projeção da consciência para fora do corpo físico, é uma capacidade inerente a todo ser humano. Ele se efetua durante o sono e durante o transe mediúnico, porém o sono é o principal mecanismo que desencadeia o desdobramento.

Há controvérsias na literatura sobre a seguinte questão: se todo sonho pode ser considerado um desdobramento. Diante dos nossos estudos e pesquisas chegamos a seguinte conclusão:

Para Freud, o sonho é a realização do desejo ou o encontro com os nossos traumas recalcados no inconsciente, daí os sonhos sem sentido aparente, que é a forma de burlar a censura do nosso superego aliviando tensões e renovando energias, o sonho seria o nosso arquivo mental o qual não temos acesso no estado de vigília, eis o inconsciente apresentado pelo pai da Psicanálise Sigmund Freud. Então, todo sonho é a representação do inconsciente.

Particularmente, temos formação em psicologia analítica e somos também estudiosa da Doutrina Espírita para percebermos, com mais clareza, o conceito dos sonhos de Freud intrinsecamente relacionado com o estudo do desdobramento pelo sonho explicado pela Doutrina Espírita; esta aponta "tipos" de sonhos, como a realização do desejo: sonhar com as vivências do seu estado de vigília; ou sonhos espirituais: viver e atuar como espírito livre do corpo físico; segundo alguns estudiosos da Doutrina Espírita, apenas os sonhos espirituais são considerados desdobramentos. No nosso entendimento, mesmo quando se sonha com suas experiências do estado de vigília, o espírito também se desprende do corpo físico para viver o seu inconsciente, iríamos mais longe e diríamos que o espírito é o próprio inconsciente, entendendo este desprendimento como um desdobramento, como uma experiência do espírito, logo, todo sonho é um desdobramento.

Trecho retirado do Livro Umbanda Luz e Caridade - Cap. 7 - Ednay Melo

umbanda-ednay
À venda no Clube de Autores









Quero ler o post completo

6 de junho de 2014

Textual description of firstImageUrl

Corrente Mediúnica



corrente mediúnica na umbanda




É o conjunto de forças magnéticas que se forma, em dado local, quando indivíduos de pensamentos e objetivo semelhantes se reúnem e vibram em comum. Podemos dizer que é um conjunto de médiuns, tal quais os elos de uma corrente de metal, que se interligam e complementam. Na corrente, cria-se o contacto entre as auras, unem-se os fluídos, harmonizam-se as vibrações individuais, os elos mentais ligam-se entre si e forma-se uma estrutura espiritual da qual cada pessoa é uma parte, uma parte viva, vibrante, operante. Para que uma corrente mediúnica seja coesa e tenha uma boa vibração, os médiuns que dela participam, deverão ter o mesmo pensamento ou sentimento, caso contrário, o elo quebra-se, o trabalho espiritual não desenvolve. às vezes a “carga negativa” é demais para um único médium absorver e se livrar dela. É necessário que se dilua essa carga entre outros médiuns e, nesse caso forma-se uma corrente mediúnica, que pode ser composta por dois médiuns no mínimo ou por uma quantidade infindável deles. As sessões espirituais são compostas por duas correntes: corrente mediúnica e corrente espiritual, que trabalham em harmonia, buscando os mesmos objetivos. à corrente que se estabelece num ritual no plano material, corresponde uma outra formada pelas entidades e, dessa união gera-se uma forte corrente espiritual, de onde todos podem beneficiar. A participação de um médium numa corrente deverá começar pelo banho de ervas e uma limpeza mental, preparada de bons sentimentos, elevando o pensamento para um plano superior de religiosidade.

A formação de uma boa corrente magnética é a condição mais importante para a realização de todo e qualquer trabalho espiritual.

A missão de ser médium é árdua e espinhosa, é difícil, é o caminho das tentações. Médiuns são aqueles espíritos que receberam antes da presente encarnação, determinados ajustes no Organismo Astral e, nas suas concepções morais, que possibilitem ceder a sua constituição física à comunicação mediúnica, trabalhando em prol da Caridade e da evolução própria e dos seus semelhantes. Este é um compromisso firmado entre este Ser e os Espíritos da Confraria Cósmica de Umbanda, antes do nascimento e que deve florescer de maneira natural ao longo da encarnação do indivíduo. A vida não nos pede sacrifícios, nem esforços que não sejam compatíveis com as nossas forças. Compete a todos os médiuns lutarem para melhorar. O desejo de muitos para ser médium é ardente, no entanto, passar pelos caminhos que devem ser trilhados por um instrumento sensível ao bem, poucos suportam.

HÁ MUITAS FLORES NA ROSEIRA, MAS OS ESPINHOS SÃO INCONTÁVEIS.

Centro Pai João de Angola


Quero ler o post completo

5 de junho de 2014

Textual description of firstImageUrl

Saravá Iansã! Eparrê!


Iansã na Umbanda

Sagrada Mãe Iansã, eu não sei rezar, não sei fazer clamores e muito menos escrever direito, mas eu venho aqui, de coração falar com a senhora... venho pedir... pra variar... isso eu sei fazer minha mãe, pedir... venho falar, reclamar, questionar... sou displicente, sou humano, e sei fazer tudo isso.

Eu queria trazer flores para a senhora, mas escolhi plantá-las e convidá-la para que venha me ver cuidar delas enquanto meu canto é levado pelo vento.

Como um filho rebelde, resolvi sair do caminho só pra chamar a atenção, e quando a senhora me colocar de volta nele, eu possa senti-la me tocando, mesmo que seja pelo fio da sua sagrada espada.


Peço mãe dos meus caminhos, que seus raios iluminem as estradas à minha volta, para que eu tome as melhores direções.

Peço que quando o escuro tomar conta dos meus olhos, a senhora me guie pelo som do brandir de sua espada. E nas batalhas onde eu não enxergar meus opositores, seus ventos assoprem nos meus ouvidos o que preciso saber, e me coloque no lugar certo para eu me esquivar dos seus golpes traiçoeiros.

Peço merecer seu amor de guerreira, o carinho de sua espada que extirpa o que não me serve para nada. E peço também entender os porquês do que me é bom ou não.
Mãe de um amor guerreiro, não precisa me responder nada em palavras, mesmo porque eu não aprendi a ouvi-las. 

Só me permita senti-la na força dos ventos, e tenha certeza, saberei que a senhora está comigo. Se eu merecer, eu peço minha mãe, que nunca me perca dos seus divinos olhos, porque sabendo que sou olhado pela senhora, não me sinto sozinho.

Eu não sei rezar minha mãe, eu só sei chamar.

Sou eu Mãe Iansã, sou eu que chamo a senhora no seu dia... sou eu que chamo a senhora nos meus dias. Salve o silêncio do raio, salve o estrondo do trovão... e salve o poder da ventania.

Adriano Camargo Erveiro



Quero ler o post completo

1 de junho de 2014

Textual description of firstImageUrl

Tronqueira

Tronqueira


Muitas pessoas quando vão aos Templos de Umbanda observam nas entradas, pequenas casinhas ou portas que ficam posicionadas à esquerda da entrada. São as chamadas tronqueiras, locais onde são colocados elementos que fundamentam as proteções espirituais do Templo.


Estas tronqueiras funcionam como verdadeiros pára-raios, evitando que forças contrárias aos aspectos positivos adentrem o recinto. Nelas encontramos as forças de Exú e Pombagira, entidades espirituais que podemos observar em suas ações de forma análoga, como a polícia do astral. Os médiuns do Templo, bem como os consulentes recebem o amparo direto destas entidades, que se utilizam dos elementos ali mesmerizados para fundamentarem e repassarem suas forças curadoras e protetoras.


Encontramos em quase todas as tronqueiras o elemento terra, onde esta é retirada de forma ritualista e magística de pontos específicos, chamados de pontos de força dos Exús e Pombagiras. Como estes servidores da Luz regem as encruzilhadas e as bifurcações, é ali que se concentram poderosas vibrações que são utilizadas dentro da tronqueira, mas além da terra da encruzilhada ainda se pega a terra das montanhas, do cemitério, das matas, etc.


Então esta terra é colocada dentro deste local, as vibrações dos pontos de força dos Exús e Pombagiras passam a estar dentro do Templo de Umbanda, permitindo aos Guardiões deste local agir nas descargas se utilizando das forças das encruzas. Bem como de outros locais onde se foi retirada a terra, permitindo que a força viva, seja atuante dentro da tronqueira.


Além da terra, que é preparada pelos Exús e Pombagiras, encontramos uma diversidade de sementes, pedras, punhais, tridentes, ervas, velas, ossos, entre outros elementos que fazem parte do fundamento daquela casa.


Uma observação; não existem assentamentos e fundamentações de força de Exús e Pombagiras iguais, pois cada entidade tem seu próprio mistério e este ritual só se faz poderoso por completo quando direcionado pela entidade, então fundamentos encontrados em livros servem apenas para dar o conhecimento de como é feito dentro de UM rito, mas existem muitos rituais e a particularidade das entidades deve ser respeitada. É ai que está o Mistério e o Poder de Uma tronqueira. Este ponto de força dentro de um Templo de Umbanda só serve para dar suporte, proteção e firmeza ao Templo, nunca em hipótese alguma se utiliza deste local Sagrado para pedir coisas que não condizem com o Bem e elevação que a Umbanda traz, bem como, utilizando-se de forma degenerada, não está ligado ao Mistério Maior do Criador. Cito isto por ver que muitas religiões e pessoas que não conhecem este importante fundamento de nossa religião, distorcem o significado de uma Tronqueira.


Aproveitando o tema, se faz necessário revermos as questões sobre despachos (entregas) nas encruzilhadas. Dentro de uma tronqueira podemos ter a encruza, o cemitério, a força dos caminhos, das montanhas. É uma questão de fundamentar os pontos de influxo destas vibrações em preparos específicos dentro de uma tronqueira. Assim evita-se a entrega nestes locais, elas passam a ser feitas no próprio Templo. Isto é um fundamento importante, onde o Exú e Pombagira fundamentam tais forças na Tronqueira.

Axé
Pai Ortiz Bello


Quero ler o post completo
Topo

Melhores Textos sobre Umbanda