A Essência da Umbanda - Tenda de Umbanda Luz e Caridade - Tulca

08/04/2015

A Essência da Umbanda


A Essência da Umbanda


Umbanda é a oportunidade da prática da caridade, da vivência no Bem, no amor e na fraternidade. Umbanda Luz e Caridade! Umbanda Luz na Caridade! Umbanda Luz com a Caridade! Umbanda sempre Luz e sempre Caridade!

Deus, o nosso Pai Olorum, nos concedeu inteligência e livre arbítrio para as nossas escolhas, somos livres para pensar e escolher e somos inteligentes para entender as consequências das nossas escolhas. A Umbanda dá a oportunidade do conhecimento, do estudo e da transparência de suas práticas, que são práticas somente no Bem.

Para entender a Umbanda não basta ler e estudar, é preciso pisar o chão sagrado e aprender com os Guias, é preciso viver os ensinamentos doutrinários dentro e fora do Terreiro. Entende-se a Umbanda com os pés descalços no chão, sentindo o cheiro dos seus incensos e ouvindo os seus cânticos sagrados em forma de pontos cantados, fechando os olhos em meditação buscando a paz interior a fim de receber as bênçãos dos benfeitores. Entende-se a Umbanda quando fechamos os olhos e admitimos humildemente que erramos e que estamos dispostos a melhorar. Entende-se Umbanda quando somos capazes de empaticamente ajudar ao nosso irmão. Entende-se Umbanda quando, através dos nossos pensamentos e atitudes no Bem, preparamos campo energético para entrarmos em contato com os Guias que estão ali sempre dispostos a acolher e auxiliar.

A Umbanda é religião que os espíritos utilizam para a prática da caridade, eles também constroem, assim como nós, os degraus para a evolução espiritual. E a nossa evolução depende sempre da caridade praticada, a fim de contribuirmos para um mundo melhor e mais justo. A oportunidade da prática da caridade é para todos, encarnados e desencarnados. Os Guias praticam as suas caridades e nós também, quando os servimos como instrumentos mediúnicos. Porém, para servirmos de instrumento mediúnico para os Guias temos antes que zelar por este instrumento, zelar por nós mesmo, cuidar do nosso corpo físico, mental - emocional e espiritual.

A famosa frase do Caboclo das Sete Encruzilhadas: "A Umbanda é a manifestação do espírito para a prática da caridade" ilustra perfeitamente a essência da religião. Mas como entendermos o que é a caridade? Centenas de pessoas procuram os nossos Terreiros, na maioria das vezes, na busca de soluções para os seus problemas imediatos e para apaziguar os seus sofrimentos. Diante do merecimento de cada um e da permissão de Deus, muitos conseguem respostas e soluções para os seus intentos, porém muitos não conseguem, por que será? Será que a caridade não está para estes? Voltamos a nossa pergunta inicial: O que é a caridade?

Na nossa humilde opinião, caridade é a ação que torna o ser humano melhor, daí a sua prática para efeito positivo e, a um longo prazo, está na promoção do conhecimento consciencial da existência de cada ser, na valorização do indivíduo como agente do mundo a sua volta e como se tornar cada vez mais uma pessoa equilibrada e feliz.

Infelizmente existem pessoas muito acomodadas, que preferem esperar pelo "milagre", achando que o erro está sempre no outro, que as oportunidades almejadas não lhes surgem porque são vítimas de um mundo competitivo e injusto, porque são alvos de invejas e demandas, ou não conseguem porque se julgam obsidiadas e perseguidas. Elas querem saber os "porquês das pessoas", muitos esperam até que a Umbanda "mude" o outro para que sejam mais felizes. Será que isto é caridade?

Na Umbanda que praticamos não existe adivinhação, muito menos interferência no livre arbítrio de ninguém. Nas perguntas elaboradas aos Guias, as respostas só serão dadas se tiver real utilidade na vida do consulente, se eles souberem e se, ainda, tiverem a permissão para revelar. Jamais responderão para a satisfação da curiosidade apenas, que pode tornar a pessoa mais confusa e aflita.

Nós médiuns atuantes com os Guias nas consultas dos Terreiros, na qualidade de médiuns conscientes, que são a grande maioria, devemos estar cientes do tamanho da responsabilidade na interpretação das mensagens dos Guias e a melhor forma de discernimento é fazer sempre a pergunta para si mesmo: "Será que essa resposta é de fato útil para a vida desta pessoa? Ela precisa mesmo desta resposta para conseguir a paz e a felicidade?" Em caso negativo, é porque de fato o Guia não pretende responder da forma esperada pelo consulente. Talvez esta pessoa precise somente da reflexão de que tem a capacidade de ser agente de mudança em sua vida e para isto, com certeza, a Umbanda dá todo o apoio e incentivo.

A nossa religião acompanha a evolução da humanidade e, paulatinamente, esta visão deturpada de ser a umbanda solução para problemas imediatos e mundanos, efêmeros por natureza, é substituída pela visão de ser a Umbanda mais um canal pelo qual a espiritualidade superior ensina e convida a ser em si mesmo a mudança que precisa para ser feliz.

Pratiquemos a caridade na nossa Umbanda, não apenas aquela que praticamos junto com os nossos guias, atendendo a assistência em suas dores e dificuldades, mas principalmente aquela caridade diária na rotina do terreiro e fora do terreiro, praticando a empatia sempre que sentimentos infelizes pairem no convívio com os nossos irmãos para entender e cooperar no restabelecimento da harmonia e antes que a ação indigna acompanhe os sentimentos mesquinhos, perguntemos a nossa consciência onde erramos e onde podemos melhorar, para a nossa paz e para o bem de todos.

Pequenos gestos e atitudes também são caridade, para conosco e para com o próximo, que podemos exercitar no nosso dia a dia:

· Sorrir para esconder o nosso mal humor.

· Respeitar as opiniões diferentes das nossas.

· Saber ouvir sem julgamentos.

· Impedir que a fofoca se espalhe, calando na hora certa.

· Ser humilde e acreditar que colhemos o que plantamos.

· Acreditar que tudo tem um tempo certo para acontecer, diante do merecimento de cada um.

· Sermos gratos sempre, porque o nosso irmão sempre tem algo de bom a nos oferecer.

· Refletir sobre a forma que as nossas atitudes repercutem sobre o nosso próximo, pensar antes de agir.

· Investir para que todos os umbandistas se respeitem mutuamente, porque a vaidade destrói toda edificação.

· Entender que as palavras confortam, mas são as atitudes que determinam a mudança efetiva em benefício do próximo.

· Acolher a todos, sem distinção, mesmo aqueles que não simpatizamos.

· Ter humildade para admitir os nossos erros.

· Considerar o nosso próximo e participar-lhe as nossas insatisfações para com ele, visando a união que constrói.

· Ao falar de amor e caridade, que a nossa consciência alcance o nosso coração e se certifique do tamanho do amor que realmente nutrimos pelos nossos semelhantes.

Que os nossos Guias continuem juntos a nós, através da mediunidade, através dos sentimentos e ações que edificam o propósito maior da Umbanda: Fazer a caridade, todos nós espíritos em evolução.

Do livro "Umbanda Luz e Caridade - Ednay Melo"



Nenhum comentário

Compartilhamento redes sociais