9 de janeiro de 2018

As Mensagens que a Mediunidade nos Traz

As Mensagens que a Mediunidade nos Traz


Qual é a mensagem que a mediunidade nos traz?

Quando a mediunidade aparece, é um sinal dizendo:
"Está na hora de evoluir espiritualmente e sair do sono evolutivo em que sua alma está."

É um sinal que avisa que chegou o momento de se tornar útil para o universo, ajudando Deus Pai, Nosso Criador em Sua missão, que é a evolução espiritual em massa. É por isso que ela aflora. Simplesmente porque todos nós temos que trabalhar nossa mediunidade, já que temos que contribuir para a evolução consciente do universo.

Existem muitas pessoas que sentem um impulso interior, e por sua natureza particular, acabam se integrando ao fluxo evolutivo do universo, desenvolvendo atitudes altruístas, mostrando força de vontade espiritual, porém muitas vezes, nem se dão conta que existe esse termo: Mediunidade.

Por que isso?

Simplesmente porque uma consciência altruísta, (que é e sempre foi a mensagem presente como pano de fundo, toda vez que o assunto é a mediunidade), já está impregnada na essência da pessoa.

A mediunidade manifesta um sinal do universo, que indica sutilmente que ela precisa se alinhar a vontade maior de Deus. O aviso acontece como uma leve dica que o Grande Pai nos dá, se mostrando como um chamado da consciência do indivíduo para uma causa maior. Digo leve, porque naturalmente quando não há compreensão, os avisos continuam a surgir, no entanto com maior nível de cobrança e rigor, que podem se manifestar por dores, crises, conflitos e desequilíbrios de toda ordem. Não porque Deus é punitivo e castiga, mas porque trancar a correnteza do rio, nadar contra a maré, sempre gerará consequências.

E a Mente Superior, por diversas vezes dá indícios ao indivíduo, que já passou da hora de se reconhecer plenamente como um ser espiritual, que é o momento de aprofundar o estudo, e praticar um estilo de vida voltado para a evolução e a expansão da consciência. Principalmente compreender que o mundo físico, materialista e alienado do Todo, é apenas um teatro necessário para nossa experiência e evolução.

Nunca poderemos nos perder nos conceitos e paradigmas (às vezes tão complicados) relacionados à temática. Isso porque toda forma de mediunidade sempre será um convite para a pessoa na jornada da reforma íntima.


A mediunidade como um instrumento de evolução

Uma alma que vem para esse mundo, com o propósito de evoluir, acomoda-se em um corpo físico. E isso, varia, com a necessidade que se tem para realizar seus resgates e aprendizados.

Esse comentário é para lembrar que a mediunidade não é boa nem ruim! Ela simplesmente é a condição que a pessoa precisa para evoluir. Estando muito vinculada a sua forma de utilização.

A mediunidade é um termo que vem do latim e significa intermediário. É uma faculdade psíquica ou sensibilidade extra-física. Está presente em todas as pessoas. Sempre! O que difere é que em algumas ela aparece pouco evidente, enquanto que em outras se mostra desenvolvida, aguçada.

Em resumo, todos somos médiuns, alguns mais desenvolvidos, outros menos. A maior parte das pessoas desconhece esse fato.

A mediunidade pode ocorrer de várias formas. A exemplo da vidência, clarividência (enxergar com os olhos da mente), clariaudiência (ouvir sons extra-físicos), psicografia (a canalização e escrita de mensagens vindas de planos extra-físicos), entre outras diversas formas.
Mas para que serve a mediunidade? Como usá-la? Qual o(s) desafio (s) que enfrenta uma pessoa que apresenta sua mediunidade desenvolvida?

O indivíduo evoluído nessa faculdade, principalmente com consciência disso tudo, aprende a aproveitar as percepções do plano espiritual. Trazendo esse conhecimento das dimensões superiores, para o plano físico. A pessoa consegue acessar informações, que para maioria é algo místico, esotérico, desconhecido. E é aí que começam os grandes desafios, afinal essa mediunidade acarreta aumento de sua responsabilidade, no sentido de utilizar com sabedoria suas percepções extra-físicas. Afinal, esse dito dom da mediunidade, acaba tornando a pessoa alguém diferente, o que não é verdade... Essa diferença, perante o estilo de vida aqui na Terra pode gerar muitas consequências. Abaixo algumas delas:

Rejeição:
Das pessoas em relação ao médium, por considerá-lo, louco, insano, etc;
Do médium em relação à mediunidade, por não querer enfrentar a responsabilidade, por insegurança, etc;

Medo:
Das pessoas em relação ao médium, afinal ele é alguém que se comunica com o mundo dos mortos;
Do médium em relação a essa faculdade psíquica. Por desconhecer e por não ter confiança, por não saber o que fazer e como fazer. Afinal os impactos que implicam no uso dessa mediunidade podem ser desastrosos, quando sem sabedoria e discernimento;

Admiração:
A admiração das pessoas em relação ao médium. Por ser considerado alguém diferente, que pode ter acesso a alguns mistérios ocultos para a maioria das pessoas. Essa admiração pode gerar a idolatria. Pode também gerar a vaidade excessiva por parte do médium, originando fascínio.

Fascínio:
O médium se fascina pelos acontecimentos e por seu dom. Ele pode se achar especial, sentindo-se superior aos demais. O fascínio pode ser considerado uma das piores formas de obsessão. Uma porque cega a pessoa, e outra porque é alimentada por ela mesma, distante de sua essência, cheia de ego e alienação. Nesse caso, as conseqüências podem ser desastrosas.

A pessoa que nasce com elevado desenvolvimento mediúnico, só vem com esse projeto de vida, pela necessidade que tem de aprender a lidar com esses aspectos inferiores da personalidade, que somente assim poderiam ser aflorados para gerar o aprendizado. O desafio é grande, porque a chance da pessoa incorrer nesses deslizes é muito constante. Isso porque, aos olhos do leigo, distanciado do entendimento da missão da sua alma, a mediunidade é um poder digno dos Reis. Grande armadilha!

Ser médium não é ser melhor ou pior que ninguém! Trata-se apenas de fazer parte de um projeto de evolução, que precisa da mediunidade como um instrumento de crescimento. Uma técnica pedagógica específica, para um tipo de aprendizado também específico.

Muitas pessoas, com níveis elevados de mediunidade, costumam cometer os seguintes equívocos:

  • Usar o dom de forma inadequada, negativa, voltado para interesses apenas pessoais;
  • Se fascinar, cair no ego, na vaidade, pelo fato de iludir-se com os acontecimentos;
  • Renegam completamente, pelo medo que têm de enfrentar os desafios que virão, que realmente são vários;

A maior meta:

  • Usar a mediunidade como um instrumento para melhorar a humanidade. 
  • Aprender a utilizá-la de forma honesta, idônea, voltada para o bem maior. 
  • Colocando-se permanentemente como instrumento de ajuda para a evolução da humanidade. 
  • Deixar a energia grandiosa de Deus fluir, pela bondade e pelo amor.

Se o médium souber trilhar sua vida com humildade, constância de propósito, usando essa força com discernimento, também poderá viver inserido em uma atmosfera espiritual linda, agradável, amorosa, verdadeiramente encantadora. É preciso ficar atento, sempre, a todo instante. Orai e vigiai funciona bem, pense nisso!!!

Por: Bruno J. Gimenes e Patrícia Cândido






Nenhum comentário:

Postar um comentário

Topo