A Dúvida do Umbandista - Tenda de Umbanda Luz e Caridade - Tulca

17/03/2019

Tenda de Umbanda Luz e Caridade - Tulca , A Dúvida do Umbandista , Mediunidade , Umbanda ,

A Dúvida do Umbandista

A Dúvida do Umbandista

Chega! Eu deixei de ser umbandista.

Minha irmã, fico feliz em ver que você duvida. A dúvida é uma virtude. Duvidar não é o oposto de ter fé. A condição necessária à fé é a dúvida, porque a fé é o que sobrevive apesar da falta de certeza. As pessoas deveriam ter menos certeza das coisas, assim seriam menos dogmáticas, menos fundamentalistas e estudariam mais, buscariam mais.

Em nosso meio umbandista ainda temos uma literatura muito ruim. Mesmo que o umbandista leia mais hoje do que lia há alguns anos, uma das razões da falta de qualidade dos nossos livros é a falta desse espírito crítico e buscador entre nós. 

Vou te contar uma coisa. Sou sacerdote de Umbanda, nasci na Umbanda e a ela me dedico há décadas. Mas também passei pela dúvida. E depois do sacerdócio. Despachei minhas guias e otás e não queria mais saber dessa maluquice toda. Fiquei dois anos longe. Um dia sonhei com um índio, ele me chamava para sentar em sua aldeia e tomar um chá. Conversava comigo. Aquilo ficou na minha cabeça até que uma amiga, coincidentemente, me chamou para ir a um terreiro com ela. Fui pela amizade, a muito contragosto. Chegando lá, era festa de Oxóssi. Eu não sabia. O caboclo chefe de casa era o Arranca-toco. Ele estava em terra. Quando entrei no terreiro, ele olhou para a porta, me acompanhou com os olhos até que eu sentasse, me chamou lá na frente e me recebeu com um abraço. Eu nunca tinha pisado naquele terreiro. Ninguém ali me conhecia. Isso foi uns quinze dias depois do meu sonho. Ele olhou para mim e disse 'Seja novamente bem-vindo à nossa tribo'. E pediu ao cambono que pegasse um coité com água pra mim. Depois que bebi a água veio o que me fez voltar à Umbanda. Ele olhou nos meus olhos e disse 'Fui te chamar. Não te obriguei a voltar. Só fui matar a saudade. E você veio'. Chorei copiosamente por vários minutos. Aqui estou. Eu, Umbandista.

Não confunda as falhas de um terreiro com a Umbanda em si. Há terreiros e há terreiros. E acima de tudo, siga o seu coração. Como está na bíblia dos cristãos, 'é dele que procedem as saídas da vida'. Nenhum orixá ou entidade vai te prejudicar, jamais, por nenhuma razão. Estar ou não na Umbanda é uma escolha sua, pessoal e intransferível. Seja leal aos seus sentimentos e isso te preservará de todo o mal. Que assim seja."

Para me tornar UMBANDISTA precisei deixar de ser umbandista.

Babá Fábio de Xangô




Nenhum comentário:

Postar um comentário

Topo