29 de abril de 2012

Textual description of firstImageUrl

Orixás - Sopro Divino na Natureza / Por Ednay Melo

Orixás - Sopro Divino na Natureza / Por Ednay Melo

Orixás – Sopro Divino na Natureza

A natureza, criada por Deus, representa a supremacia do todo sobre as partes. Todo ser vivo sobrevive nela e com ela, e por ser parte viva da natureza o ser humano interage movido por sua energia cósmica e dinâmica, a energia do Criador, que vibra em todo o planeta originando-se em reinos específicos da natureza.

Como reinos da natureza, podemos citar os rios e cachoeiras, mares, formações rochosas, matas e camadas internas e externas do globo. À energia que vibra em cada um desses reinos dá-se o nome de Orixá, porém Orixá não é só isso, seu conceito vai muito além do que os nossos poucos sentidos podem alcançar. Existem Orixás que não têm reino específico, mas dominam determinados fenômenos e são marcados por determinados simbolismos, como Iansã que domina os ventos e as tempestades, e Ogum que domina os caminhos e percursos existentes sobre a terra, que representam o dinamismo natural da vida (...)

Trecho retirado do Livro Umbanda Luz e Caridade - Cap. 3 - Ednay Melo

umbanda-ednay
À venda no Clube de Autores







Leia mais

28 de abril de 2012

Textual description of firstImageUrl

Preto Velho Diz se é Certo - Pai Tomé / Ednay Melo

Preto Velho Diz se é Certo

Com a permissão de Nosso Sinhô, véio pede licença para transformar em letras para muitos fios de fé, o que véio vem escutando dia e noite nos ouvidos, como um rosário: "véio, me diga - estou no emprego certo, com a pessoa certa, na religião certa, no terreiro certo, no caminho certo..." Véio sempre responde e vai escrivinhar também:

Depende do que vosmicê entende por certo. Mas diante da Lei Maior, cada qual está no lugar exato onde deve estar. Precisa-se enxergar além do que é lógico na matéria, acima de vosmicê, acima dos homens e abaixo de Deus Nosso Sinhô. Não pode pensar nos caprichos que dão o verniz na vaidade, porque tudo perece. Cada qual está no lugar pelo tempo necessário ao seu aprendizado, seja experiências felizes ou não. Cada qual está num lugar para cumprir missão, ou para o resgate kármico, ou para aprender, ou para ensinar, ou para cair de novo em erro, até aprender a acertar. Os fios devem desacostumar a esperar as respostas de fora, porque elas já estão prontas dentro da consciência de cada um, que vão aparecer quando estiverem bem preparados pela escola da vida.

Véio não tá aconselhando que com isso os fios devam se assentar e esperar o tempo passar, pelo contrário, os fios devem aproveitar para preencher a cartilha da lição, aquela que Nosso Sinhô Jesus Cristo ensinou: "amai-vos uns aos outros como eu vos amei!". A partir daí iluminam-se todas as virtudes necessárias para que os fios subam mais um degrau na sua evolução. Tudo nas Obras do Criador caminha para frente e para cima, o estacionar é necessário para aprender e redirecionar a força do espírito para o lugar verdadeiramente certo. Que a paz de Nosso Sinhô esteja com todos.

Pai Tomé
Médium: Ednay Melo





Leia mais
Textual description of firstImageUrl

Recado de Exu Marabô - Psicografado por Ednay Melo


Exu Marabô

Se me perguntam quem sou
Eu digo que sou doutor
Sou Exu, sou Marabô
Da falange de Nosso Senhor.

Se o Sr quer regalias,
Soprando as cinzas do trabalho
E esperando que eu lhe ajude,
Vá com cuidado seu moço

Não carrego ninguém nos braços.
Falar que faz é fácil
Quero ver encaminhar
Cada letra para o seu lugar.

Não brinque não, seu moço
Porque estou de sentinela
De pulso firme na porteira
Peneirando o bem do mal.

Seja honesto com vós próprios
E dê uma chance para o vosso saber
Tudo o que ganhas é por merecer.

Mas ande depressa, seu moço
Porque nesta oportunidade de reajustes
Não se tem tempo a perder.

Laroiê Exu!

Psicografia de Exu Marabô
Médium: Ednay Melo (TULCA)




Leia mais
Textual description of firstImageUrl

Só o Amor Liberta - Psicografado por Ednay Melo


Só o amor liberta
                                   

Falarei baixo para não discernir o momento,
Nem deixarei o verso fugir aos teus olhos a esmo.
Dentro de mim uma velha canção suprime a voz muda
Que precisa cantar para uma carência moribunda
E sonhar às alturas com fulgor patético.
Porque minha vida é a haste de uma rosa distante,
A bruma que prevalece no horizonte
De rosa à alma e de alma à espuma.
Vagando a noite de um luar insepultável
Uma velha canção suprime a voz muda
Onde espelha-se o sublime amor.
Falarei dos teus olhos que clareiam as cores
E dos olhos invisíveis, suaves como a pluma,
Que enxergam o grão de uma terra infecunda
Como se dormissem em braçadas de flores.
Falarei da tua voz que é a minha voz
Na diretriz da verdadeira vida,
Onde a saudade busca um novo dia
Na veemência de encontrar a partida.
Cante com um sorriso, como se a poesia fosse a única no mundo,
Brilhe para a vida a luz do horizonte esquecido
Faça da flor murcha um mar de pétalas se abrindo
E navegue nesse mar o sonho do amor mais lindo.
Porque o grande íntimo do mar é a tua voz serenizada
E basta uma única canção para enaltecer o que se tem de mais belo
Fluindo na imensidão emoções desesperadas,
Apaziguadas pelas mãos lânguidas de um luar eterno.
A beleza e o sonho, de mãos dadas, buscam o espaço
Onde uma grande sombra se esconde do que se esquece.
Como esquecer a poesia, as flores que se seguem na aurora?
O amanhecer do dia em que foste o céu da aurora?
Onde fui flor, fui mar, fui poesia e não fui eu?
Assim, o amor excede o que existe
Quando se cria e se liberta para um novo amanhecer.

Um Espírito Amigo.
Médium: Ednay Melo (TULCA)



Leia mais
Textual description of firstImageUrl

Andanças de um Preto Velho - Pai Tomé / Ednay Melo


Andanças de um Preto Velho

Certa vez em uma das andanças desse nego véio pelos terreiros que trabalham com a Bandeira de Pai Oxalá, fiquei a observar os movimentos dos filhos de fé antes do início dos trabalhos. Uns se lembravam de problemas não resolvidos com os familiares, outros não esqueciam aquele desaforo ouvido quando caminhavam para o terreiro e por pouco não revidaram a ofensa, outros ainda arquitetavam na mente como se defender de provável comentário malicioso que talvez aquele irmão de fé tenha para com ele. Ainda outros fazem suas obrigações não por amor, mas para mostrar (véio não sabe a quem) que é o melhor, o mais dedicado e o que merece boas recompensas. Outros sorriem forçosamente enquanto o coração destila fel. Em uma pequena roda de irmãos, véio ficou de boca aberta com os comentários: falava-se de todos, menos dos que estavam na roda, é claro. E em outra roda, véio ficou mais perplexo ainda: não se falava diretamente dos irmãos, mas apimentava-se o verbo: "-é alguém daqui... mas, quem???", e todos se entreolhavam, num mistério profundo... Cada irmão que passava o pensamento fluía: "será este, ou aquele???"

E assim, tristemente, véio presenciou a formação de uma névoa escura que envolvia muitos filhos, que não sabiam porquê, na hora da gira, estavam sentindo-se mal, ou porquê não sentia a vibração do seu guia, ou pior, porque está sendo vítima de uma obsessão... Esta última é palavra da moda, muitas vezes usada para disfarçar os próprios "dragões" interiores!

Numa corrida quase mágica, os trabalhadores do astral trabalhavam para amenizar aquela corrente negativa que se formara, isola-se um, esforça-se para vibrar pelo menos próximo do outro, faz-se o socorro aqueles irmãos que foram atraídos pela vibração de desarmonia, compartilha a prece sincera emanada de poucos e, assim, há muito custo a luz se faz!

Afinal, muitos dos que buscam ali consolo e renovação merecem ser protegidos dos irmãos invigilantes, e serem atendidos de forma harmoniosa, de acordo com o merecimento de cada um.

Quero pedir, humildemente, que os filhos de fé nos ajudem a ajudar quem precisa, se a semente plantada da Umbanda ainda não germinou em seu coração, não desanime, faça um pequeno esforço para deixar os problemas lá fora do terreiro, vibre positivo para todos a sua volta, não se preocupe com o reconhecimento de suas atitudes, porque quando sua recompensa chegar, ela nem será percebida como tal. Que o branco vestido com orgulho e dedicação represente a paz do seu coração, para realmente "refletir a Luz Divina" entoada no Sagrado Hino da Umbanda.

E com as bênçãos de Pai Oxalá cresçamos unidos, porque a fé, o amor e a caridade está ao alcance de todos.

Pai Tomé de Angola
Médium: Ednay Melo





Leia mais
Textual description of firstImageUrl

Oráculo Cigano - Por Ednay Melo - Com a Orientação da Cigana Esmeralda

Oráculo Cigano


A origem do oráculo cigano é motivo de controvérsias entre os pesquisadores. A cartomancia e o tarot foram trazidos pelos ciganos, provavelmente, oriundos da China antiga.

É arte divinatória milenar entre os ciganos, cujos preceitos foram passados oralmente de geração a geração. Desde criança a cigana é preparada para fazer a leitura da sorte, atividade específica das mulheres, pois, segundo os ciganos, elas teriam a intuição mais aguçada devido ao dom da maternidade. Os homens ciganos não jogam, mas respeitam o aviso das cartas e não tomam decisões na vida sem antes consultá-las.

Os ciganos sobrevivem de trabalhos manuais, de vendas, ou se dedicam às artes, à dança e à poesia. As ciganas fazem do oráculo uma atividade rentável, o que é perfeitamente natural ao costume de seu povo.

O oráculo cigano não mantém vínculo com nenhuma religião, porém, algumas religiões o utilizam com fins divinatórios.

O uso que se faz deste poderoso oráculo em algumas comunidades religiosas, especificamente na Umbanda, é motivo de polêmica em alguns aspectos:

1) O de ser uma atividade rentável:

É tradição as ciganas cobrarem pelo jogo enquanto encarnadas na terra, alguns acreditam que, na vida espiritual, as ciganas continuam com este mesmo costume; mas não é bem assim, em Casas sérias e com médiuns sérios isto não acontece.

Apesar das cartas estarem impregnadas com energia cigana, nem sempre é esta falange quem orienta o jogo; a individualidade do espírito comunicante se sintoniza com a intenção do cartomante, isto é, os semelhantes se atraem. Se a intenção do cartomante for apenas usar o oráculo como um meio de vida, ou usar da prática do charlatanismo sob qualquer aspecto, burlando as Leis Divinas e abusando da boa fé do consulente, ele será orientado por um espírito (cigano ou não) de natureza rudimentar, embusteiro e disposto a dar qualquer resposta, apenas pelo prazer de ludibriar ou obter qualquer vantagem pessoal.

Há também os que justificam a cobrança porque acreditam em troca energética no ato do pagamento de um jogo, o que é um equívoco, pois a troca energética se efetua através do pensamento, sentimento e conduta moral.

Felizmente, com a evolução natural do planeta e dos seus habitantes, com a internalização gradual dos valores morais nos religiosos, paulatinamente está sendo extinta a prática de se cobrar por qualquer atividade de cunho espiritual, inclusive a arte divinatória.

2) Por que o cartomante acerta na leitura das cartas de uns e não de outros?

A razão está, em se tratando de um cartomante honesto e devidamente assistido por espíritos sérios, na energia mental oriunda do consulente. Aquele que procura o oráculo apenas por curiosidade ou com propósitos de chacota, com a maldade velada, não consegue entrar em sintonia vibratória com a energia que envolve o jogo e, consequentemente, nada é visto. Se o cartomante arrisca algum palpite, é muito provável que haja erro nestas circunstâncias.

3) Diante da Lei de Causa e Efeito, é correto revelar o futuro e prevenir o que seria inevitável?

A arte divinatória é regida pela Lei Divina e a Ela se submete. As cartas só mostram ao consultor o que se fizer necessário ao crescimento espiritual do consulente.

Geralmente, respostas imediatas e objetivas dadas por um jogo de cartomancia é mais uma consequência da ligação do inconsciente do consultor com o inconsciente do consulente, do que uma intervenção mediúnica.

4) Faz-se realmente necessário a utilização de uma ferramenta material para que haja a comunicação do espírito, ou seja, a leitura da sorte pode ser um ato somente intuitivo?

Não. É ferramenta necessária para quem tem o conhecimento milenar do oráculo. A leitura da posição das cartas aliada à intuição mediúnica é a regra básica do jogo.

5) O que dizer aos que acreditam que o oráculo é manipulado por espíritos inferiores em sua evolução espiritual?

O único espírito superior que já passou pelo planeta é Jesus Cristo, que não precisa obter nenhum conhecimento para a Sua compreensão dos mistérios que envolvem a vida. Qualquer espírito pode fazer uso do oráculo, vai depender dos princípios morais do cartomante, como já citei na primeira questão. Fazer uso do jogo não quer dizer que ele está ainda preso ao plano material, ele usa a ferramenta que facilita a habilidade inerente ao médium, assim como os espíritos que apreciam a boa música se envolvem com os instrumentos musicais na sua comunicação mediúnica com o artista.

Este texto está longe de esgotar o assunto sobre o Oráculo Cigano, é apenas uma contribuição para desmistificar alguns conceitos sobre o assunto.

(Cigana Esmeralda / Médium: Ednay Melo, 28/04/2012).


Trecho retirado do Livro Umbanda Luz e Caridade - Cap. 4 - Ednay Melo


umbanda-ednay






Leia mais

27 de abril de 2012

Textual description of firstImageUrl

Sobre Umbanda - Por Ednay Melo


Sobre Umbanda

Umbanda é uma religião tipicamente brasileira, constituída a partir de uma diversidade de crenças universais como o Africanismo, o Catolicismo e o Espiritismo. É uma religião eclética, que se molda de acordo com a egrégora que a pratica, daí a sua diversidade em Umbanda esotérica, branca, universalista, traçada, omolokô, etc. Esta diversidade tem como aspecto positivo o respeito à liberdade de consciência, imprescindível ao crescimento do ser humano como ser holístico, como ser bio, psíquico e social. E tem como aspecto negativo a confusão de opiniões, refletindo na sociedade uma visão deturpada da Umbanda, muitas vezes uma visão enraizada em conceitos já ultrapassados, que ferem o principal objetivo da religião, que é a oportunidade de crescimento espiritual através de estudo e prática do princípio de amor, fraternidade e caridade.

Na minha trajetória como aprendiz da Umbanda, do Candomblé e do Espiritismo, me deparei com conceitos e preconceitos que se chocam fortemente com a prática que tenho a oportunidade de vivenciar. Um dos conceitos ou preconceitos da maioria dos irmãos da Doutrina Espírita, Doutrina esta que respeito em sua filosofia enriquecedora, é o de que "ser umbandista ou ser espírita é uma questão de evolução espiritual, assim, os umbandistas ainda não são capazes de entender a Doutrina Espírita, por isto se apegam às práticas grosseiras, às energias mais densas, porque é o que está ao seu alcance evolutivo."

Entendo que é primordial saber o que seja evolução espiritual, é um conceito absoluto ou relativo? Prefiro acompanhar o pensamento já comprovado pela ciência de que tudo é relativo. Ser relativo entende-se não haver parâmetro universal para um paralelo, logo, ser espírita não é sinônimo de ser mais evoluído, tampouco mais capaz de entender determinado pensamento. Energias densas e sutis? Existem em todo ambiente, emanadas de encarnados e desencarnados. Dessa forma, não encontro respaldo na realidade de certos preconceitos com relação à Umbanda.

A Umbanda é uma religião simples, que pratica a humildade através da sabedoria dos Pretos Velhos, que sentados em seus tocos e pitando os seus cachimbos explicam as verdades espirituais com mais clareza de raciocínio aos culturalmente menos favorecidos, que não encontram lugar em palestras com vocabulários ricos e belos em cultura indubitavelmente terrena.

A Umbanda não sacrifica animais, a Umbanda dá de graça o que de graça se recebe, em trabalhos umbandistas não se ingere bebidas alcoólicas, a Umbanda não polui a natureza com oferendas, porque a natureza sendo sagrada na representação dos Orixás é louvada com fé, amor e , sobretudo, respeito a sua integridade.

A Umbanda, enfim, acompanha a evolução da humanidade em seu aspecto mais sublime, que é o encontro do humano com o Sagrado, do eu interior com o eu superior, na absorção gradual dos Mandamentos do Criador.

Ednay Melo






Leia mais
Topo