Setembro 2017 - Tenda de Umbanda Luz e Caridade - Tulca

28 de setembro de 2017

Textual description of firstImageUrl

Reflexões de Umbanda

Reflexões de Umbanda

O pagamento mais comum ao médium de Umbanda e dirigente é uma moeda chamada ingratidão, por isso, é preciso essa consciência de quem está nesta batalha. Sim, uma batalha! Porque fazer a caridade é lutar contra muitos conceitos opostos e se manter firme e de pé para a próxima batalha!

A maior moeda é a ingratidão, mas a recompensa é a edificação! Um médium cresce como ser humano independentemente de sua situação financeira, social ou amorosa, ele se torna algo que estará com ele pela eternidade de sua alma, de seu espírito.

Quem não consegue compreender esse conceito não deve estar no caminho de auxiliar e sim no caminho de ser auxiliado, trabalhar rumo a caridade é para aqueles que têm disposição de progredir e progresso é labuta, progresso se trata de um processo árduo que precisa de força espiritual, mental e até mesmo física, ser médium é diferente de estar médium, ser médium é para quem tem força e expansão em seus horizontes relacionados a conceitos, estar médium é para aqueles que de alguma forma precisaram passar por esse caminho, nem que seja pra saber que ainda precisarão amadurecer e compreender os desígnios da vida, que ainda precisam de muita ajuda dos destinados ao exercício da mediunidade.

Umbanda é uma seleção de soldados feita antes do nascimento terreno!


***


Qual a dificuldade em respeitar hierarquias?

Muitos enxergam hierarquias como arrogância, entretanto, as hierarquias são símbolos da humildade. Quem respeita hierarquias carrega consigo a humildade, a simplicidade em saber que caminhos são percorridos diariamente, que é necessário respeitar aqueles que já percorreram caminhos por onde você ainda sequer conheceu, respeitar as hierarquias é respeitar a bagagem de seu mais velho, seja ele irmão de terreiro, pais, avós ou simplesmente pessoas que têm bagagens preenchidas com experiência e conhecimento. 

Hierarquia não é diploma, hierarquia é bagagem, hierarquia é caminhada e vivência, não há a necessidade de constrangimento ao lidar com elas, apenas se constrange aquele que não tem humildade suficiente para reconhecer a caminhada de seu próximo. 

Respeite as hierarquias, saiba lidar com elas, entretanto, respeite também os mais novos, pois a humildade consiste em não se negar a explorar sua própria estrada, mesmo que seja para voltar e auxiliar quem nela está começando a andar!


***


Alguns pais espirituais (pais ou mães) se fecham ao repassarem ensinamentos aos seus filhos, claro que tudo no seu tempo, tudo na sua hora e momento, entretanto, o que digo é a respeito de um medo que o responsável tem do filho aprender e passar a saber tanto como ele ou por grande aptidão de forma humilde obter ainda mais conhecimentos no futuro. 

Se um filho meu expandir mais do que eu expando é motivo de alegria pra mim, pois como pai que sou me sentirei orgulhoso de preparar tão bem um filho a ponto dele expandir as nossas raízes, progredindo-as ainda mais dentro das mesmas estruturas. 

Quem não ensina o que é certo aos seus filhos corre o risco de vê-los aprendendo o que é errado, não se poupe de ensinar, porque um dos momentos em que mais aprendemos é quando ensinamos e repassamos o que sabemos!


***


Assumir a sua crença, a religião que te faz melhor é o primeiro passo contra o preconceito. Não estou falando de sair por aí gritando ''sou umbandista'', mas que apenas não se intimide ou se envergonhe ao responder quando perguntarem que é umbandista, não respondendo que é católico ou espírita pra ficar um pouco mais ameno. 

Estamos no século XXI e em pleno ano de 2017, será que ainda precisamos nos omitir somente para sermos aceitos numa roda de conversa ou num ciclo de colegas? Será que omissão é uma forma de ser respeitado? Pense e reflita, somos livres e não merecemos a companhia de pessoas que se incomodam com as nossas crenças ou descrenças!


(Reflexões compartilhadas da página do facebook do Pai Lazinho do Quilombo)




Quero ler o post completo

25 de setembro de 2017

Textual description of firstImageUrl

Banho de Ervas

Banho de Ervas

Muitas pessoas têm duvidas sobre como preparar os banhos, se eles devem ser jogados na cabeça, que ervas podem ser utilizadas, se toda erva tem o mesmo efeito, e por aí vai. Vale lembrar que este é um assunto muito vasto e que cada caso é um caso, mas em geral podemos seguir algumas regrinhas e recomendações básicas. Vamos lá:

Os banhos de ervas são, de uma maneira geral, rituais onde utilizamos elementos da natureza com o intuito de que haja uma troca energética entre o indivíduo e esses elementos naturais utilizados. Os banhos de ervas servem principalmente para limpar as energias negativas, afastar influências negativas, reequilibrar, aumentar a capacidade receptiva do aparelho mediúnico e desobstrução dos chacras. Não somente os médiuns ativos na Umbanda devem tomar banhos de ervas, mas todos em geral podem e devem se beneficiar deste poder natural.

Os banhos de ervas secas devem ser preparados por infusão, ou seja, essas ervas devem ser colocadas em uma vasilha com água fervente que será tampada e permanecerá assim por pelo menos 15 minutos. Lembrando que ervas secas não devem ser fervidas e que precisam ser ativadas antes de serem utilizadas. A ativação de ervas secas se faz amassando-as e apertando-as um pouquinho entre as mãos. Os banhos de ervas frescas devem ser preparados por maceração, ou seja, as ervas frescas devem ser colocadas em um recipiente com água e maceradas por alguns minutos. Caules, raízes mais grossas e talos duros (como as espadas) devem ser fervidos por um período médio de 30 minutos. Os banhos de ervas devem ser tomados depois do banho higiênico, podem ser coados e devem ser preparados sempre com um número ímpar de ervas. Para potencializar o poder energético dos banhos podemos utilizar águas naturais como água de chuva, de cachoeira, de rio ou de mar.

Existem algumas categorias de banhos:

  • Banho de Descarrego: Serve para livrar o indivíduo de cargas energéticas negativas. Estamos o tempo todo em contato com diversas pessoas e ambientes onde o mal e as energias negativas são abundantes. Por mais que nos vigiemos ora ou outra baixamos nosso nível vibratório e imediatamente estamos entrando nessa egrégora de energia negativa. Se não nos cuidarmos vamos adquirindo doenças, distúrbios e podemos até ser obsediados, por isso o banho de descarrego é fundamental. Há dois tipos de banho de descarrego: o banho de sal grosso, que lava toda a aura desmagnetizando a pessoa (Este banho é muito eficiente para descarrego, porém não deve ser jogado na cabeça e após este banho deve se tomar imediatamente um banho de ervas para equilibrar as energias, uma vez que ele realmente é capaz de tirar toda a energia da aura) e o banho de ervas de descarrego, que tem efeito mais duradouro e consequências maiores que o banho de sal grosso pois algumas ervas são naturalmente descarregadoras e sacodem energeticamente a aura de uma pessoa eliminando grande parte das larvas astrais e miasmas. Para preparar este tipo de banho devemos utilizar ervas quentes como arruda, guiné, aroeira, folhas de fumo, entre outras. 

  • Banho de Defesa: Serve para a manutenção energética dos chacras impedindo que eles se impregnem de energias nocivas em determinados rituais como, por exemplo, em oferendas em campo de força ou quando vamos conhecer um novo terreiro. As ervas utilizadas para preparar este tipo de banho são aquelas relacionadas ao Orixá regente da pessoa ou aquelas que uma entidade receitar. 

  • Banho de Energização: Reativa os centros energéticos e refaz o teor positivo da aura. É um banho que devemos utilizar regularmente e que devemos tomar antes ou até mesmo depois de uma gira espiritual. Para o preparo deste tipo de banho devem ser utilizadas ervas mornas como pétalas de rosas brancas ou amarelas, alecrim, alfazema, levante, entre muitas. 

  • Banho de Fixação: É utilizado para trabalhos ritualísticos e deve ser tomado apenas por médiuns que irão realizar um trabalho aprofundado e entrar em contato com entidades elevadas. Este banho abre todos os chacras aguçando a percepção mediúnica e as ervas utilizadas nele devem ser as indicadas pelo chefe de terreiro ou pela entidade. 


Além deste há também os banhos específicos que são preparados com ervas frias e trabalham em um determinado campo de energias como, por exemplo, os banhos atratores que podem ser preparados com malva, canela ou rosas vermelhas; os banhos energéticos que podem ser feitos com girassol, guaraná ou emburana; os banhos calmantes que podem ser preparados com capim cidreira, melissa ou erva de São João; entre outros


Mônica Caraccio


Quero ler o post completo

24 de setembro de 2017

Textual description of firstImageUrl

Homenagem aos Ibejis 2017

💙Saravá Ibejis!
Onibeijada!💙

Homenagem aos Ibejis 2017


Homenagem aos Ibejis 2017


Homenagem aos Ibejis 2017

No Brasil, os Ibejis são sincretizados com os Santos Católicos São Cosme e São Damião e na Umbanda é a linha que, juntamente com as linhas de Caboclos e Pretos Velhos, forma o triângulo de força que é a base da religião.

Apesar de se apresentarem com a roupagem fluídica de crianças, nem todos desencarnaram no corpo infantil. A Linha dos Ibejis representa a pureza e inocência das crianças, daí criança, nestes termos, é apenas um referencial arquetípico. Todo espírito que tem como missão trabalhar a alegria, a pureza, benevolência, amor, leveza d'alma, simplicidade, recorrendo ao princípio de todas as coisas, encontrará nesta falange os melhores recursos de atuação.

Trecho retirado do livro "Umbanda Luz e Caridade - Ednay Melo"

***

Gira festiva em homenagem aos Ibejis, na sede da Tulca, em 23/09/17. Obrigado a todos pela participação e carinho!




Quero ler o post completo

22 de setembro de 2017

Textual description of firstImageUrl

Aos Visitantes da Tulca

Aos Visitantes da Tulca


Saravá fraterno a todos os irmãos!

A Umbanda é uma religião que agrega, que soma e compartilha para o Bem de todos. Uns dos princípios básicos da Umbanda é não cobrar pelos seus atendimentos, não imolar animais e não barganhar com entidades espirituais. Conheça um pouco da nossa Casa: "Quem Somos"

Consulte os dias e horários das nossas atividades: "Agenda da Tulca"

Em toda Casa de Umbanda existem regras que precisam ser respeitadas para que o trabalho em benefício de todos flua da melhor forma. Assim, reservamos este espaço para orientar os nossos visitantes de como se comportar em nossa Casa:

  • Fornecemos o nosso endereço às pessoas que o solicitam através do e-mail: tulcaumbanda@gmail.com, através do “Formulário de Contato” do nosso Blog ou através da nossa Fan Page (inbox) no facebook, são meios de comunicação para todos os assuntos. Não disponibilizamos de telefones.
  • Quem for de carro, informamos que as vagas no nosso estacionamento só são liberadas a partir das 16 horas, horário em que a loja vizinha fecha. Antes disso, as opções para estacionar são nas ruas paralelas à avenida.
  • Respeite o horário de chegada, a fim de não interromper os trabalhos.
  • Importante manter postura de recolhimento íntimo e cultivo de bons pensamentos enquanto estiver no Templo.
  • Não é permitida a entrada com saias curtas, shorts curtos, roupas transparentes e (ou) muito decotadas. Use roupas claras de preferência.
  • Pedimos que faça nova consulta espiritual quando tiver finalizado o tratamento prescrito na consulta anterior. Sempre se sentir real necessidade.
  • Aguarde o momento do breve intervalo para ir ao sanitário, se puder.
  • Desligue os celulares e evite conversas paralelas.
  • Permaneça na Tenda até o final de todos os trabalhos. 
  • Verifique sempre a nossa agenda no menu do nosso Blog.
  • Menores só entram acompanhados dos seus responsáveis.
  • É proibido fotografar, gravar vídeos ou áudios no interior do Templo.

P.S. O médium que deseje fazer parte da corrente mediúnica em nossa Casa, deve aguardar o período de 12 meses frequentando a nossa Assistência, bem como deve concordar com os termos do nosso "Regimento Interno"

Estamos disponíveis em caso de dúvidas! É sempre um prazer tê-los conosco!

Obrigado pela compreensão!

Tenda de Umbanda Luz e Caridade - Tulca




Quero ler o post completo

20 de setembro de 2017

Assiduidade e Pontualidade nos Terreiros


Vamos entender o que significa cada uma dessas palavras que fazem uma grande diferença dentro de um terreiro de Umbanda.

Assiduidade: O termo assiduidade tem origem no latim assiduus ou assiduitate, significa alguém que é diligente,incessante, frequente, contínuo, que sempre está presente.

Pontualidade: Seria aquele médium que chega sempre no horário, não chega atrasado, responsável com seus compromissos, tem respeito consigo mesmo e aos demais.

Alguns terreiros trabalham da seguinte forma, eles não exigem de seus médiuns questões de assiduidade e nem de pontualidade, eles acreditam que o médium de trabalho, frise-se. Que ele tem que ter a total liberdade de ir e vir, indo quando bem entende e frequentando a corrente quando sentir vontade e podendo chegar no horário que bem lhe aprouver.

Vamos analisar essa questão com bastante cuidado:


  • Primeiramente um médium que é assíduo e pontual ninguém está lhe tirando o direito de ir e vir, e muito menos seu livre arbítrio de decisão. Ele está ali porque tem comprometimento e responsabilidade.


  • Sabe que sua presença é essencial para o bom andamento dos trabalhos, ele busca seu rendimento e seu aprendizado, chega pontualmente porque tem respeito aos demais da corrente, além do mais não quer perder se quer um minuto de estar em sua casa religiosa, cada momento para ele é precioso.

Será que um médium que mais falta do que vem no terreiro ele está alcançando o rendimento necessário para seu aprendizado e evolução nas questões espirituais e mediúnicas, da mesma forma que o médium assíduo e pontual?

Com certeza não, muito pelo contrário, ele muitas vezes fica mais perdido que cachorro quando cai da mudança (rsrsrs)quando chega no terreiro, por exemplo se está tendo uma palestra daquelas continuadas, nem vai saber do que estão falando e pior acaba por atrapalhar os demais com perguntas que já foram respondidas, dificultando o trabalho ali proposto.

Fora que um médium assim, se ele não tem comprometimento com questões básicas como essas de assiduidade e pontualidade, será que ele está cumprindo preceitos, resguardos etc, para estar ali dentro de uma gira de Umbanda, pasmem, já vi médiuns chegarem bêbados dentro de uma corrente e o dirigente simplesmente fingir que nada está acontecendo. Fora essa questão, muitas vezes chega no terreiro, ainda provocando desequilíbrios energéticos que vão de contra mão para com aqueles médiuns que tentam praticar sua religiosidade de forma responsável e correta, não podendo esquecer que os irmãos da corrente acabam por se aborrecer com tais médiuns, criando dificuldades até mesmo interpessoais dentro do terreiro.

Quem pratica da forma correta, com certeza não aceita negligência e desrespeito com sua fé.

Muitas vezes o médium tem problemas com trabalho, nessas questões ele deverá procurar terreiros que trabalhem de acordo com seus horários e necessidades, tentando conciliar suas necessidades da melhor forma, para que consiga cumprir dessa forma sua missão da forma mais adequada. Algumas casas trabalham 3x por semana, casas assim até se adequam mais a alguns casos e mesmo assim, alguns dirigentes não aceitam em suas correntes mediúnicas médiuns faltosos com suas responsabilidades, são questões doutrinárias e de diretrizes de cada terreiro devendo ser respeitadas.

Sou sincera em dizer MÉDIUNS TURISTAS os bons dirigentes estão fugindo deles, porque causam muitos problemas.

O médium antes de entrar para dentro da corrente deverá ser informado quanto a essas questões e só entrarem se puderem se adequar as diretrizes, evitando dessa forma desgastes futuros. Mas infelizmente não é assim que acontece, muitos médiuns entram afoitos dentro de um terreiro e nem se preocupam com tais diretrizes e depois de um tempo ou se adequam ou são retirados da corrente por não estarem cumprindo com suas obrigações e isso provoca um desgaste e um desconforto muito grande, um desrespeito para com a casa e o tempo que o dirigente dispensou para aquele filho.

Problemas de comprometimento, nas questões de assiduidade e pontualidade vemos em pequenos e grandes momentos dentro de um terreiro, causando transtornos.


  • Uma delas muito evidenciada é em momentos de obrigações internas dentro da casa, ou externas, onde há horários a serem cumpridos, e os “atrasildos” de sempre acabam atrasando e chegando fora dos horários, atrasando todo mundo junto com eles, alguns dirigentes já cansados dessas posturas e diria folgas, já colocam limites quanto a isso, dão sim um tempo de tolerância mas caso o médium não chegue nesse prazo seguem adiante os deixando para trás, é muito triste quando isso acontece, nenhum dirigente quer em momento de obrigação deixar alguém para trás, mas o bem estar do grupo e da maioria deve prevalecer.


Eventualidades podem acontecer, mas cabe ao médium responsável avisar o dirigente do que está acontecendo com ele, para que o dirigente consiga se moldar a situação, tomando as medidas mais adequadas e evitando é claro aborrecimentos que poderiam ser evitados.


  • Outra situação é no dia a dia das giras no terreiro, atrasos de filhos na casa e até mesmo consulentes que acham que o terreiro tem que estar aberto a sua disposição chegando o horário que chegar, vejam não é assim que funciona, já vi inclusive consulentes chegarem mais de duas horas atrasado e achar ruim porque os cambonos não deixam ele entrar mais no terreiro. É muito desrespeitoso sem motivo aparente uma pessoa chegar horas atrasado ou mesmo passando muito dos minutos de tolerância. Volto a dizer eventualidades acontecem e devemos abrir espaço, mas não podem virar rotina.


Os médiuns e consulentes devem entender que a Umbanda é uma religião como qualquer outra que tem suas doutrinas e diretrizes e nossos terreiros tem que se darem ao respeito também para que não sejam confundidos com a “casa da Maria Joana”, onde as pessoas se dão o direito de fazerem o que bem entendem.

Se deem ao respeito, para se exigir respeito.

Consulentes: uma dica, se um guia o qual tenha confiança lhe passar um tratamento espiritual, respeite a assiduidade que o mesmo exigirá e será pedido a você. Explico: alguns guias vendo algumas necessidades espirituais passam determinados tratamentos que exigem uma frequência pelo menos durante um prazo, muitas vezes o consulente vai em uma ou duas giras, inicia, as coisas melhoram, ele simplesmente abandona tudo, negligenciando a continuidade do tratamento, e com o tempo é como uma doença mal curada se você não toma os antibióticos de acordo, nos dias e horários corretos a doença piora, o processo é exatamente assim em alguns tratamentos espirituais. Os médiuns de trabalho ou passistas, devem entender o quanto suas presenças são necessárias porque cada guia tem sua forma de trabalho e atendimento e quando o médium falta aquela pessoa praticamente (não sempre), terá que praticamente reiniciar tudo de novo e isso também provoca choques energéticos espirituais, dificultando ainda mais o tratamento e obtenção do resultado.

Todo dirigente tem orgulho de seus médiuns quando são assíduos e pontuais, porque denota comprometimento, seriedade, integridade, e o mais importante ele sabe COM QUEM PODE CONTAR, já com um médium que mais falta que vem, ele acaba virando um móbile um objeto de decoração, mais um, não acrescenta em nada, muito pelo contrário acaba diminuindo, fora que a grande maioria desses médiuns são médiuns problemáticos e acabam provocando desequilíbrios dentro da corrente porque vivem carregados de energias densas, onde que acabam por descarregar em seus terreiros, e isso poderia ser muito bem evitado se tivessem posturas mais responsáveis e sérias quanto a religião que adotaram para seguirem.

Alguns dirigentes infelizmente, não se importam desde que esses médiuns paguem suas mensalidades em dia, outros além disso, fingem-se de cegos, porque casas numerosas em tempos de festa lhes dá ibope, porque uma das várias características de médiuns sem comprometimento é que adoram aparecer em dias de festas, são os chamados médiuns “pombos”.

Mas atitudes assim não são de dirigentes sérios.

A uns anos atrás presenciei uma cena inusitada numa festa de Iemanjá, um terreiro onde as médiuns mulheres estavam impecáveis e os homens idem, muito bem vestidos, paramos para assistir o andar dos trabalhos, e nos deparamos com uma situação realmente constrangedora, os ogãs tocando, cantaram vários e vários pontos para Oxossi, mais de meia hora cantando sem parar, não incorporou nem o pai de santo, nenhum filho se quer deu uma “estremecida”, depois de mais de uma hora tocando, o dirigente deu uma bronca numa médium e ela supostamente incorporou. Esse caso presenciado usamos para debate em nossa casa, dentre várias suposições abordadas do ocorrido, algumas foram questões de comprometimento, seriedade, assiduidade e pontualidade, um médium que está em dia com seus compromissos não tem o porque de seus guias não responderem na hora de uma gira, agora imaginem o que presenciamos na questão de um terreiro inteiro, que diga-se de passagem tinha-se mais de 30 médiuns. Então vejam que número de médiuns não qualifica terreiro se é bom ou não.Como disse um amigo e dirigente, hoje em dia ter poucos médiuns está sendo uma benção (by Claudio Zeus), porque quantidade nunca será sinônimo de qualidade. Reflitam.

O exemplo parte de cima, o dirigente deve ter em sua consciência sua responsabilidade no bom andamento de seus trabalhos e trabalhar com seus médiuns sobre essas questões, e ser exemplo também, porque infelizmente estamos vendo dirigentes que mais cancelam seus trabalhos do que executam, e quando os médiuns vão tentar saber dos porquês é porque estão em festas, viagens, seus terreiros ficam sempre em segundo plano.

Um dirigente que se comporta cotidianamente dessa forma não impõe respeito e seriedade, simplesmente seus médiuns podem seguir seu exemplo ou simplesmente não levá-lo mais a sério e com respeito devido.

Um médium e uma casa que não tem seriedade é um desserviço até mesmo para as pessoas que a frequentam, porque vejam há casos de consulentes que estão a fazer um tratamento espiritual e que necessitam de uma certa frequência, como que uma pessoa pode ser tratada espiritualmente se os médicos (guias) não tem seus instrumentos de trabalho?

Médiuns de trabalho, passistas devem ter essa consciência e respeito e levarem com responsabilidade e seriedade o trabalho mediúnico que se prestaram a executar.

Muitos médiuns ficam revoltados e aborrecidos porque são retirados da corrente por falta de seriedade e comprometimento, mas pensemos num hospital que os enfermeiros, os atendentes, os médicos faltam e nunca estão, teria esse hospital condições de atenderem aos doentes e enfermos que lá chegam? claro que não.

Qual a postura de um administrador hospitalar quanto a esses profissionais? os demitem e trazem profissionais competentes para a execução do serviço.

E assim se procede em um terreiro de Umbanda, o grande Hospital das Almas, um lugar de comprometimento, respeito e seriedade, com pessoas dedicadas e comprometidas, assíduas e pontuais em suas missões.

Cristina Alves




Quero ler o post completo

17 de setembro de 2017

Textual description of firstImageUrl

Homenagem aos Mestres Juremeiros 2017


Salve o dia 18 de Setembro!
Salve os Mestres!


Homenagem aos Mestres Juremeiros 2017


Homenagem aos Mestres Juremeiros 2017


Homenagem aos Mestres Juremeiros 2017


Homenagem aos Mestres Juremeiros 2017


Homenagem aos Mestres Juremeiros 2017

O dia 18 de setembro é dia de homenagear os valentes guerreiros, líderes quilombolas que lutaram bravamente pelos direitos de liberdade, igualdade e dignidade dos menos favorecidos, especialmente dos povos negros e índígenas no início do século XIX. 

O vocábulo "Malungo" quer dizer "Camarada" no dialeto malungo. Todos os líderes deste movimento libertário receberam o título Malunguinho. O último líder do Quilombo do Catucá - PE, João Batista, foi capturado e morto no dia 18 de setembro de 1835.

Os Mestres Juremeiros na Umbanda representam o arquétipo dos bravos Malungos, tendo na figura de Reis Malunguinho o seu chefe de falange. Os Mestres continuam com o mesmo propósito libertador e rogamos que derramem o seu axé sobre o povo brasileiro, especialmente o povo das religiões de matriz africana, tão injustamente e covardemente perseguidos.

A família Tulca sente-se honrada em homenagear, mais um ano, os Mestres da Jurema! Agradecemos a todos pela participação e carinho!

Sobô Nirê Reis Malunguinho!
Paz a todos!
"Que a Jurema manda!"

(Família Tulca em gira festiva na homenagem aos Mestres Juremeiros - Sede da Tulca, em 16/09/17)





Quero ler o post completo

14 de setembro de 2017

Textual description of firstImageUrl

Convite para a Gira dos Mestres



Convite para a Gira dos Mestres




Quero ler o post completo

11 de setembro de 2017

Textual description of firstImageUrl

A Umbanda não Faz adivinhações

A Umbanda não Faz adivinhações

Muitas vezes as pessoas acham que a Umbanda, mais precisamente os Guias Espirituais, estão a disposição para adivinhações, para dizer se as coisas que almejam, como marido, negócios estão para acontecer, e detalhe, muitas vezes tem que acontecer do jeito que foi planejado, saber de amores que sumiram, e por ai vai…! Claro que os Guias têm a permissão de falar algumas coisas, como: “tem tudo para dar certo, mas faça a sua parte”, “a pessoa que você almeja está próximo, mas olhe para os lados”, “estamos ajudando para que tudo aconteça, mas não vacile nos caminhos”, “orai e vigiai”, alguns trabalhos de ajuda como mandalas, magias, descarrego, desobsessão… Mas, seguramente, nunca adivinhações ou previsões, se assim fosse não precisaria mais ter pessoas desaparecidas, era só ir a um Terreiro de Umbanda. Também não precisaríamos mais de remédios e nem de médicos encarnados, estaríamos famosos pelos nossos milagres… O que existe meus irmãos é força, determinação, fé, vontade, aliados aos trabalhos espirituais que nossos queridos Guias, através de Jesus, nos oferecem, e assim podermos alcançar o merecimento de sermos curados, de recebermos os bens materiais que lutamos para obter, mas o maior de todos, o de receber os bens espirituais para crescermos e evoluirmos.

A vida é feita de escolhas, diariamente podemos escolher qual caminho seguir e nesta escolha podemos mudar acontecimentos, como por exemplo, posso ir a uma festa e conhecer uma pessoa legal ou decidir ficar em casa assistindo novela, também posso acordar pela manhã e sair para trabalhar, mas não sem antes xingar São Pedro pela chuva, ou posso acordar e aceitar a previsão do tempo, colocar sapatos mais fechados e chegar no meu trabalho dando bom dia a todos, pois graças Deus tenho um trabalho, tenho meu ganha pão.

Eu escolho meus caminhos, eu escolho como cumprir meu carma, ou eu cumpro da melhor maneira possível, ou da pior maneira possível, isso se chama livre arbítrio. Ao reencarnamos nós escolhemos as dívidas a serem pagas, então escolhemos a família, condição social, pessoas que nos cercam e os grandes acontecimentos onde iremos ser testados, são as provas terrenas. Concordam que aqui é a grande escola da vida da qual precisamos fazer provas para ver se passaremos de ano, ou permaneceremos na mesma série? Assim é a grande roda da vida, e como diz Caboclo Baiano Zé do Coco “ Oxente, o tempo de encarnado é tão curto que deve ser aproveitado a todo instante”. É verdade, nós vivemos como se essa encarnação fosse eterna e acabamos vivendo o amanhã, esquecendo de viver o presente que nos fortalece para o dia seguinte…

Então você pode perguntar: se eu faço meus caminhos pra que vou a um terreiro para ser ajudado? Eu pergunto: Porque uma pessoa precisa ir à escola? Para aprender, não é verdade? Nossos amados Guias são nossos professores, psicólogos, pais, irmãos, amigos, profundos conhecedores das Leis de Deus e vêm nos ensinar a andar, ensinar qual o melhor caminho a trilhar… Como diz Emmanuel: “ O pastor conduz seu rebanho, mas quem tem que caminhar são as ovelhas”. Eu adoro essa frase, ela representa bem o que devemos fazer e a quem seguir. Jesus sempre ao curar dizia: “vai que tua fé te curou”. A doutrina espírita nos explica as enfermidades e curas, e qual a atuação para se chegar a uma cura, que depende de pensamentos e vontade da pessoa. Os espíritos benevolentes trabalham nos fluidos, já impregnados das qualidades dos pensamentos e sentimentos que os fazem vibrar, essa atuação se dá no perispirito da pessoa, pois nas perturbações vibratórias do perispirito se originam as doenças orgânicas e psíquicas dessa ou de outras vivências… Mas não vamos entrar nesse assunto, pois para isso, precisaríamos algumas aulas, a intenção é entendermos como temos as rédeas de nossos passos e atos.

Sabendo de tudo isso, tenho mais certeza de que minha felicidade depende de mim e de minha fé, mas sei que preciso de ajuda, e essa ajuda eu busco na minha religião que me faz crescer dentro dos caminhos de Deus. Os sofrimentos, irmãos, são para a nossa evolução. Bendito aquele que aprende com suas dificuldades, eu aprendi a encarar cada obstáculo como degraus de luz, pois cada um deles me fortalece, me dando base para suportar a próxima tempestade…

Jesus nos ensina a construirmos nossa casa em cima de uma rocha para quando vierem as tempestades, enchentes, ventos, ela esteja sobre bases firmes. Para construirmos essa casa requer muito esforço e dedicação. A rocha representa Jesus e todo seu Evangelho, e a casa somos nós. Se construirmos nossa vivência em seus ensinamentos alcançaremos a felicidade, como diz Pai Reginaldo: “O evangelho é o único Manual que nos leva a Deus” e novamente como disse nosso Mestre: “Eu sou o caminho, a verdade e a vida, ninguém vem ao Pai a não ser por mim”.

Esses dias recebi um texto que tinha uma frase assim: “Para ser Umbandista, devemos saber lidar com a ingratidão”. Refletindo em cima dessa frase simples e curta, porém sábia e profunda, observamos nos Templos Umbandistas pessoas que o frequentam e, realmente, com algum tempo fazem mudanças significativas, mas basta um NÃO do Guia ou do Pai da casa para essas pessoas (sem generalizar) dizerem que o centro é fraco ou o Guia é fraco. Isso me faz pensar na ingratidão ou como é simples esquecer as coisas que lhe aconteceram. Agora, saindo da ingratidão e indo para a construção, em que base essa pessoa construiu sua casa? Base de areia, pois basta a primeira dificuldade para a sua casa desabar , e pior, querer culpar os que lhe deram a mão. Para ser Umbandista temos que ter nossa casa bem construída, pois vamos nos deparar com essa situação por muitas vezes, e com outras piores, mas também vamos ver muitas pessoas crescerem e evoluírem.

A Umbanda é amor, caridade, seriedade, evolução, servir… Cada casa tem sua ritualística, mas dignas de respeito e como diz meu Pai Valdo, estruturado nas palavras sábias do fundador da Umbanda, Caboclo das Sete Encruzilhadas:

“A Umbanda cabe a cada pessoa em seu estágio evolutivo desde que tenha como base:

Não matar;
Não cobrar;
Evangelizar;
Vestir o branco e
Utilizar as energias da natureza para o bem.”

Pensem nisso! Em vez de se lamentarem, de ter auto piedade, de criticarem, ou ter ingratidão, olhem para cima. Com certeza terá uma mão estendida lhe chamando para a sua evolução, para seu crescimento, para sua reforma interior, para sua auto análise como filho de Deus. E esta mão, eu sei que é Deus, atua através de nossos queridos Guias Espirituais a nos conduzir nos caminhos de Nosso Pai Misericordioso.

Lembrem-se: “quem caminha são as ovelhas”

Mãe Kátia




Quero ler o post completo

5 de setembro de 2017

Textual description of firstImageUrl

Solicite o Novo Endereço da Sede da Tulca

Solicite o Novo Endereço da Sede da Tulca

Solicite-o através do "Fale Conosco" do nosso Blog ou da nossa Fan Page (inbox) no Facebook! 





Quero ler o post completo
Textual description of firstImageUrl

As Qualidades do Médium Umbandista

As Qualidades do Médium Umbandista

Muitos ao lerem o título irão dizer, que as qualidades são: AMOR, FÉ E CARIDADE, mas esses valores infelizmente não bastam para que aquele médium tenha as qualidades necessárias, são sim a base, o fundamento dos que virão logo a seguir.

COMPROMETIMENTO: hoje em dia estamos nos deparando com um grande aumento do número de jovens em nosso seguimento, e isso nos deixa muito felizes, porque esses médiuns serão nossa herança, mas ao mesmo tempo nos deixa preocupados, será que a juventude umbandista está tendo realmente a força e o suporte, acompanhamento necessário para o bom desempenho mediúnico e espiritual dentro da Umbanda? Será que vão ter maturidade para suportar as dificuldades que irão vir?

Porque algumas questões já são difíceis para os mais amadurecidos dentro da religião, para os mais jovens então não será tarefa fácil, explico: o médium deve primeiramente estar disposto ao serviço, sua vontade, seus valores morais serão cruciais para que consiga realizar até o final sua missão espiritual, deverá possuir em suas qualidades morais e espirituais valores não só de comprometimento, mas de abnegação, resiliência, determinação. Porque terão momentos que o dever espiritual irá lhe privar de momentos de distração e divertimento. O dever mediúnico como servidor e instrumento do astral irá lhe privar de momentos festivos por exemplo, para estar ali dentro do terreiro prestando a caridade, cedendo sua matéria aos guias e mentores no trabalho de cura e amor ao próximo. E muitos obstáculos virão até de pessoas que lhe terão muita estima, mas que desconhecem sobre os caminhos do mundo espiritual, que cobrarão e exigirão suas presenças nesses momentos festivos, e será nessa hora que o médium deverá optar pelo que é mais importante para o todo, se sua missão mediúnica ou uma festa. Claro que terá os momentos de que essas situações serão bem conciliadas, mas terá outros que não. Tem um ditado que diz: o cabo da enxada poderá ser forte e sua lâmina nova, mas se quem o empunha não tiver a força e garra necessárias nenhum trabalho será realizado. O médium deve ter plena certeza da responsabilidade do seu papel como instrumento na obra do espiritual.

A RESISTÊNCIA: Muitos médiuns se perdem na vaidade, no ego doentio, e no orgulho. Muitos usam de seus dons mediúnicos de uma forma irresponsável e manipulativa. Quando um médium começa a se destacar dentro de um terreiro através de seus guias e mentores, ele terá que resistir as tentações que lhe apresentarão pelo seu caminho, tentações bem carnais até mesmo de luxúria e volúpia de sentimentos, onde devido ao seu destaque, poderá fazer escolhas erradas, usando de seus dons para proveito próprio e se esquecendo do seu papel de servidor e instrumento.

Contarei a história de Manoel, um médium excelente, com guias e mentores que faziam curas espetaculares, todos amavam seus guias e a ele. Mas Manoel estava vivendo um momento de carência afetiva, de solidão e falta de dinheiro. E muitos dos consulentes que se apresentavam a ele lhes oferecia quantias de dinheiro em troca de seus préstimos espirituais, no começo resistente a esses chamamentos escusos, agradecia e negava. Mas Manoel conheceu Patrícia, uma mulher maliciosa, interesseira que viu naquele médium uma fonte de renda fácil. Patrícia se aproveitou da carência afetiva de Manoel e começou a seduzi-lo de todas as formas, ao ponto que em pouco tempo Manoel estava de joelhos a seus pés. Patrícia começou a cobrar de Manoel condições financeiras mais favoráveis e começou a exigir que passasse a cobrar seus tratamentos mediúnicos e espirituais. Seus guias e mentores incessantemente usavam de todos os meios para o desviar da queda inevitável, eram em sonhos, em mensagens, usando da boca e intuição de outros médiuns mas nada adiantou. E Manoel não conseguiu resistir e com medo de perder a companheira lhe fez sua vontade escusa. Manoel em pouco tempo começou a afastar os seus guias e mentores dando passividade a outro tipo de ordem espiritual que se sintonizavam com tais malefícios e sortilégios e pouco tempo estava fazendo toda uma série de feitiçarias negativas em troca de altas quantias em dinheiro. Manoel e Patrícia se enriqueceram, mas a lei do retorno tarda mais não falha. Mas a falta de resistência nos valores morais e espirituais, levou Manoel a queda certa, onde foi sucumbido por um câncer agressivo que lhe tirou a vitalidade e posteriormente a vida. Os espíritos negativos que fazem uso desses médiuns corrompidos lhe sugam até as últimas forças, porque o maior objetivo destes é lhes tirar a vontade, a evangelização, e cabe ao médium tomar cuidado para não lhes ceder solo fértil. Patrícia foi um instrumento desses espíritos, onde também não teve um bom final, sofrendo um acidente terrível que lhe impossibilitou de andar.

CORAGEM: Muitos médiuns se perdem no caminho espiritual por falta de coragem, possuem tanto medo do espiritual, que não se abrem a ele, se bloqueiam de tal forma que como instrumentos ficam inutilizados, quebrados, uma viola sem cordas para o bom músico tocar.

Muitos médiuns quando iniciam sua trajetória possuem tanto medo de errar que não se deixam acertar. Mas se esquecem que as vezes o erro é o caminho para o acerto, para a correção.

É preciso coragem, para aprender, para acertar, e se para aprender é necessário errar que assim seja, estamos numa grande escola somos meros aprendizes.

Coragem também se faz necessária nas escolhas certas que muitas vezes são difíceis de serem tomadas, mas que o resultado compensa no final.

HUMILDADE: Médiuns cuidado com os elogios exagerados, os endeusamentos vindo de outras pessoas, os puxa saquismos, cuidado com o amaciamento do ego, lembre-se que você é apenas um bom instrumento mas que a boa música é produzida pelo artista que o toca, seus guias e mentores, cuidado para não se achar a própria manifestação deles em terra. O elogio amacia o ego, nos faz se sentir bem, comprova que estamos fazendo um bom trabalho como médiuns, mas devemos saber recebê-los com sabedoria e comedimento. O Médium de Umbanda precisa tomar muito cuidado com a vaidade, porque a Umbanda não é luxo e nem paetês, é beleza singela, simples. Cuidado no chamar a atenção para si em demasia, talvez você esteja se colocando num papel que não te pertença, lembre-se você é apenas o mediador. Se coloque no seu lugar. Quando um médium esteja querendo chamar mais a atenção para si, para suas vestimentas, com luxos desnecessários ele está fugindo e muito do que seja um médium umbandista.

SABEDORIA: Para o que muito foi dado, muito será cobrado. Um dirigente espiritual precisa tomar cuidado dobrado, sua missão no ajudar a conduzir almas é de suma responsabilidade, e terá que se vigiar quanto a exemplo a serem seguidos. Os médiuns de sua seara espiritual se espelharam nele como médium. Seus valores espirituais e mediúnicos lhes servirão como base. Ele será a árvore e seus filhos seus frutos que irão gerar novas sementes com a mesma qualidade. Deverá ter sabedoria no conduzir dessas vidas, sabendo que muitas vezes terá que tomar decisões que exigirão renúncia para que o certo e o bem reinem e prevaleçam. Muitos dirigentes se perdem na arrogância, na falta de estudo e conhecimento, acabam por corromper bons médiuns por falta de conduta, e infelizmente isso terá um preço perante o espiritual, quando corrompe um bom soldado ele coloca em risco todo o exército.

POSTURA e DISCRIÇÃO: Está ai uma questão que muitas vezes é negligenciada muitas vezes por conveniência. Um médium não é somente médium quando está dentro do terreiro, ele deve entender que ele não deixa de ser médium, não tem um botãozinho que o liga e desliga. Muitas vezes vemos médiuns com posturas horríveis, extremamente dissimulados, fofoqueiros, mentirosos, invejosos, beberrões, promíscuos, viciados em drogas. O médium como um veículo, um instrumento ele está sujeito a uma série de influências espirituais e quando cede a certas posturas não condizentes está abrindo canais para ataques espirituais que tentaram usar de suas fraquezas para o corromper. Fora que um médium com comportamentos como esses descritos, perante a sociedade religiosa a qual pertença fica desacreditado, mal visto, e sujeito a uma série de julgamentos, que poderiam ser evitados caso tivesse compostura. Quem irá por crédito num médium promíscuo, que vive embrigado ou mesmo se drogando? que veracidade e confiabilidade terá seus guias e mentores? infelizmente nenhuma, será apenas mais um instrumento que foi quebrado e inutilizado. Fora que por mais que esses médiuns tenham bons guias e mentores chegara o tempo que após resolutas tentativas de esclarecimento irão se afastar por questões de sintonia vibratória.

O DOM: dons como o de clarividência, vidência, audição, olfativo, devem sempre serem usados para o benefício e caridade do próximo, nunca como meio e sim como fim. Esses dons quando bem trabalhados salvam vidas, mas o inverso também lhes cabe quando usados por médiuns corruptos e gananciosos, que usam de seus dons como especulação para se tirar proveito e manipular pessoas crédulas e ingênuas. Os dons devem ser utilizados com sabedoria e cautela.

COOPERAÇÃO: quando o trabalhador está pronto, o serviço lhe aparece. O médium é o trabalhador que deve estar sempre querendo ajudar o seu próximo como a si mesmo, o bem praticado a outrem, nos irá servir de balsamo em outras paragens. O espírito de cooperação lhe é essencial. Lembrando que nem sempre esse espírito de cooperação será dado a alguém que tenha em alta estima, deverá essa vontade cooperativa estar disponível a quem o necessitar. Lembrando que tal cooperação é muitas vezes responsável pela evolução, evangelização, redenção e perdão dos espíritos. ESSE SERVIÇO DE COOPERAÇÃO SEMPRE TERÁ UM ENVIADO DE DEUS A ACOMPANHAR E AMPARAR.

GENEROSIDADE E BONDADE: Médiuns ser generoso e bondoso não se limita as questões espirituais e mediúnicas dentro do terreiro, devem ser estandarte, lema e objetivo de vida.

“O Inferno não é como nos ensinaram na infância um lugar de fogo, mas nosso Inferno e nosso Céu são criados conforme as escolhas que fazemos. E colheremos. Mas toda vez que causamos dor e sofrimento estamos criando nosso próprio inferno. Sendo assim escolha o caminho”.

ATENÇÃO – OUVIDOS E OLHOS: O ato de ouvir é diferente de escutar, ouvir é uma consequência de sons a nosso redor que não conseguimos evitar, escutar é voltar nossa atenção ao que é dito é dar importância. Alguns médiuns se perdem no caminho porque não escutam o bom aconselhamento, ouvem mas não dão importância, sua teimosia os cega, e os leva a cometer falhas graves que possivelmente lhes irá prejudicar não só a si como aos outros ao seu redor. Quando um guia dá um bom conselho, escutem. Eles provavelmente estão querendo lhes poupar de sérios sofrimentos. Só lembrando que a escolha pertence ao médium e suas consequências também.

O ver e enxergar, o ato de ver é algo superficial, não guardamos e muitas vezes logo em seguida nem conseguimos dizer exatamente o que estava ali. O enxergar é algo mais profundo, não se limita ao físico, sua mente está aberta a percepções intuitivas, você memoriza, guarda e registra no mais profundo do seu ser. Enxergar é ver além das aparências, das falas do palpável, diria que enxergar as coisas é um dom muito além da própria intuição.

O médium deve estar atento e não julgar precipitadamente nada no contexto espiritual e mediúnico. Mas sim ficar atento em todo seu contexto que lhe apresente.

REALIDADE – PÉS NO CHÃO SEMPRE: o médium deve se dedicar ao estudo e conhecimento, porque estudando, buscando boas doutrinas, não irá cair no excesso de fantasia, onde vemos médiuns sugestivos fazerem papéis constrangedores usando da roupagens dos guias e entidades. O médium deve primeiramente entender que o mundo espiritual não é o mundo de Hogwarts, costumeiramente vemos cenas que se não fossem trágicas seriam cômicas, médiuns fantasiosos que extravasam suas imaginações perturbadas usando nomes de entidades e guias sérios. Outros usam da roupagem de seus guias para extravasarem suas raivas e emoções, num verdadeiro passar o carro na frente dos bois. O dirigente deve orientar e corrigir com veemência, caso contrário está fadado a tornar seu terreiro um circo, um mero teatro de atores ruins.

IDONEIDADE: seja correto ao lidar com a espiritualidade, não a menospreze e nem negligencie. Muitos espíritos dependem que sua missão seja realizada com honestidade, e seriedade. Eles torcem por você, é o soldado que volta vitorioso depois da guerra travada. Os benefícios serão pesados juntamente com os malefícios, que o bem praticado esteja em maior cota na balança da justiça divina. O soldado quando derrotado perante as tentações do mundo, volta para casa calejado, ferido, adoentado, envergonhado da missão não realizada, o hospital dos médiuns o irá amparar, mas a recuperação será difícil e dolorosa, exigira muita vontade de viver novamente.

Vai por mim, o lado certo sempre vence, pelo simples fato que há uma força grandiosa de luz que conspira a favor.

Quando você ergue seus olhos a luz do bem, ela não te cega, ela te toma, vira teu escudo sua fortaleza.

Médiuns não queiram partir desse mundo de mãos vazias, o cultivo das boas ações espirituais e mediúnicas, devem gerar uma colheita farta. O trabalhador deve ter suas mãos carregadas de luz, para que com ela abra as portas do outro mundo. Orai e Vigiai porque as armadilhas do inimigo são muitas, sejam o balsamo do caminho do viajante.

Por Cristina Alves





Quero ler o post completo

4 de setembro de 2017

Textual description of firstImageUrl

O Que é Maturidade Espiritual (vídeo)








Quero ler o post completo
Topo