Divina Corrente de Umbanda - Tenda de Umbanda Luz e Caridade - Tulca

24 de janeiro de 2018

Tenda de Umbanda Luz e Caridade - Tulca , Divina Corrente de Umbanda , Umbanda ,

Divina Corrente de Umbanda

Divina Corrente de Umbanda

Dia desses estava pensando sobre a sublime missão da Umbanda. Uma religião que permite o culto a natureza, que aceita pessoas de todas as religiões, de todas as cores, bandeiras, passados, crenças, sem exigir nada; que se baseia no intercâmbio mediúnico como forma de aprimoramento livre; que se manifesta de forma simples e alegre, na prece entoada em cânticos, no colorido das pembas, no sacudir das ervas...e, assim, lembrei que a ideia de "corrente" é algo que sempre me chamou a atenção. Hoje entendo um pouco melhor esse conceito.

Mais do que um chavão ou uma metáfora, a concepção de corrente mediúnica tem um fundamento de fraternidade, de universalidade, de união, de apoio e de condensação energética. Nunca vou esquecer a imagem: todos de branco, de mãos dadas, fazendo uma oração em prol de pessoas que nem conheciam...isso é uma corrente mediúnica. A ação de dar as mãos, de estar apoiado por seus irmãos e de apoiá-los, de vibrar em um só coração, um só pensamento em prol daqueles que em muitas situações nos são invisíveis, colocar-se como parte de um todo... diluir-se em meio ao todo. Quando entramos em uma corrente mediúnica, estamos nos colocando a serviço da Luz e, numa postura humilde, estamos dizendo ao Universo: "sou uma peça a mais na grandiosidade da Vida, sou só mais um elo".

Elos fortes são forjados dia a dia, são construídos na experiência de sua própria espiritualidade, na humildade adquirida na dor e na desilusão, na fraternidade construída no desapego e na solidão, na alegria de ser útil, na esperança que a minha fé proporciona...é na aprendizagem profunda sobre as dores e alegrias da Vida que me forjo, me fortaleço para a Caminhada mediúnica. E me fortaleço cotidianamente no respeito e no zelo ao meu próximo e a mim mesmo.

Serei um elo forte da divina corrente de Umbanda quando perceber que não faço parte dessa corrente apenas nos dias de gira, nas saudações, nos trabalhos externos (nos campos naturais) ou quando preciso de ajuda. Serei um bom elo, quando entender que sou co-responsável pelo ideário que a sociedade tem do que é mediunidade e do que é Umbanda. Serei um elo luminoso quanto mais assumir as responsabilidades perante a minha própria espiritualidade; quanto mais aprender a respeitar minha Casa Espiritual, meus irmãos de religião; quanto menos fizer qualquer tipo de distinção em auxiliar; quanto mais eu aprender sobre amar, proteger e respeitar a egrégora que me acolhe e me acompanha...

Seremos melhores elos quanto mais entendermos que somos apenas instrumentos a serviço do Povo de Aruanda.
Salve a Divina Corrente de Umbanda!
Saravá o Povo de Aruanda!

Nelly




Nenhum comentário:

Postar um comentário

Topo