Mel na Umbanda - Tenda de Umbanda Luz e Caridade - Tulca .

03/03/2023

Mel na Umbanda

Mel na Umbanda

O mel é um instrumento muito usado e apreciado por vários guias e mentores, utilizado em vários tipos de trabalhos, oferendas, firmezas de anjo da guarda etc. Mas por que será que o mel é tão sagrado? veremos a seguir algumas curiosidades.

O mel está associado a fartura, a doçura, prosperidade, a ressurreição, transmutação, ao próprio Cristo em sua essência, símbolo da perfeição. As abelhas em várias culturas, representam a passagem da ressurreição de Jesus Cristo, pela associação que é feita, onde durante o inverno ficam por volta de três meses praticamente desaparecidas por estarem em suas colmeias e voltando a aparecer após o mesmo, simbolizando a vitória da vida sobre a morte, e a ressurreição de Jesus.

O simbolismo da abelha, também representa o Cristo quando representa a doçura e a misericórdia e por outro lado o seu ferrão, simboliza a justiça de Jesus, a verdade, e a luta contra o mal. Acredita-se em algumas culturas que as abelhas eram tesouros de Deus e são consideradas sagradas. Oriundas do próprio paraíso de Deus, onde Deus em sua misericórdia as enviou a terra para o benefício dos homens e, também, para que os homens aprendessem com seus exemplos, devido a essa associação as velas obtidas de sua cera são consideradas a maior representação da pureza e perfeição e seu uso litúrgico é de extrema força e importância por acreditar agradar a Deus e aos anjos.

Em uma das passagens de Cristo, o mel simboliza o amor fraternal o alimento da alma: “Vede as minhas mãos e os meus pés, que sou eu mesmo; apalpai-me e vede, pois um espírito não tem carne nem ossos, como vedes que eu tenho. E, dizendo isto, mostrou-lhes as mãos e os pés. E, não o crendo eles ainda por causa da alegria, e estando maravilhados, disse-lhes: Tendes aqui alguma coisa que comer? Então eles apresentaram-lhe parte de um peixe assado, e um favo de mel; O que ele tomou, e comeu diante deles.”

Lucas 24:39-43

As abelhas em sua comunidade representam o trabalho dedicado, perfeito, a união que leva a perfeição, a organização, representam o exército que defende seu forte, são sutis, vão de flor em flor sem lhes causar dano. Ao mesmo tempo podem se tornar soldados ferozes caso ameaçadas sem ao menos temerem a morte. Quando picam morrem que instantaneamente por deixarem seu ferrão em suas vítimas. O último suspiro do guerreiro que luta por sua causa. Representando o sacrifício do justo pela verdade e pela sua fé.

Se observarmos, a cor amarela do mel representa o Ouro de Oxum, a energia do Sol, representa energia, transmutação, elevação, purificação por ser a cor do fogo, o calor da terra. O girassol é uma das flores prediletas de Oxum, muito apreciadas pelas abelhas.

Quando nossos guias utilizam o mel não é só no intuito do adoçamento, mas envolve união, transformação, mudança, purificação. Quando adoçamos nossas oferendas aos nossos Orixás estamos dando o que de mais puro há na natureza correspondendo a altura de suas divindades. O mel e as abelhas estão associados a tudo que é sagrado, estimado. Estão associados à cura, acredito dispensar citar aqui as qualidades de suas propriedades como medicamento e alimento.

Quantas vezes já vimos nossos Caboclos, nossos Pretos Velhos, passarem seus remédios, suas ervas, seus chás e pedem para adoçar com o mais puro mel intensificando as propriedades de suas ervas. Com certeza não é por acaso.

Quando cruzamos e imantamos um objeto com o mel estamos invocando a chama sagrada que representa a trindade do Cristo, estamos invocando que aquele instrumento se torne a partir daquele momento algo em prol da caridade e do amor.

A própria representação da rainha, é o símbolo da feminilidade, da maternidade que tudo provém, a qual já representou várias Deusas em várias culturas. Um dos símbolos de Oxum, mãe generosa e protetora de seus filhos, a fertilidade, a fecundação sem ela nada prospera, nada frutifica, nada gera. O próprio polinizar das abelhas.

Há muitas crendices em torno do simbolismo do mel e das abelhas, alguns sacerdotes antigos na religião, acreditavam que as abelhas simbolizavam tanto a vida quanto a morte, as utilizavam como verdadeiros oráculos naturais, se do nada numa casa onde tivesse uma colmeia, se as abelhas abandonavam era sinal de mal presságio, doenças e morte para os moradores, acreditavam que virando a colmeia em direção contrária e fazendo as rezas as quais chamavam as abelhas de volta, estariam evitando que as desgraças ocorressem, o ato de sonhar com enxames era sinal de mal presságio pois simbolizavam brigas, discórdias. Já ao contrário sonhar com o mel era sinal de prosperidade, saúde e bençãos.

Há algumas ritualísticas que utilizam mel, mas as que vou citar geram muita confusão, ponto de adoçamento e amarração (não são a mesma coisa). Precisamos, como médiuns, tomarmos muito cuidado, um ponto de amarração vai contra o livre arbítrio de outra pessoa, é considerado um ato de feitiçaria indo contra as leis sagradas da Umbanda, um ponto de adoçamento é feito na presença das partes envolvidas pedindo ao sagrado o bom diálogo, a harmonia, a união, mas se faz necessário que todas as partes estejam envolvidas para que se tenha um melhor resultado.

Outras cerimônias:

Em algumas cerimônias de casamento o fel é servido aos noivos como símbolo das dificuldades, das tristezas que os mesmos terão que enfrentar na vida e logo em seguida é dado o mel, o qual representa a união, a doçura, o amor, as alegrias. No ritual de batismo também é utilizado o mel, pedindo para aquele filho proteção e bençãos.

O mel nas religiões afros é chamado de aiyn ( o sangue das flores), podendo ser utilizado tanto pelos guias e mentores como pelo povo de Exu e Pombagira em seus padês.

Em alguns trabalhos, a junção do mel com o dendê é considerado grande capacitor energético de proteção, sendo usado em fundamentos de acordo com a tradição de cada casa.

A linha dos ibejis, de nossas crianças na Umbanda são grandes apreciadores do mel, utilizando o mesmo em seus trabalhos, como bebida e até mesmo alimento. Alguns ibejis, por exemplo, dispensam os tão apreciados doces por uma boa e generosa dose de mel. Já tive oportunidade de ver verdadeiras curas desses guias tanto em trabalhos de saúde como de obsessão usando apenas mel.

Observem que nossos guias não utilizam apenas o mel, como muitos pensam, como instrumento apenas de adoçamento, seu simbolismo ritualístico vai muito além disso, considerado um bálsamo de cura. Muitas vezes quando um guia oferece a um filho sua bebida adoçada com mel poderá estar indo junto com essa bebida uma excelente dose de energia, purificando, e imantando aquele filho, lhe dando a energia necessária para superação de suas dificuldades e problemas. Fora que o ato de receber tal oferta deve ser considerado um verdadeiro símbolo de caridade, amizade e união que aquele guia está a lhe ofertar.

Deixo um alerta, há muitos tipos de mel sendo vendido nos mercados atualmente, muitos de péssima qualidade, procurem escolher bem que tipo de mel irão utilizar em seus trabalhos e ritualísticas, lembrando que há muito açúcar caramelizado sendo vendido passando por mel.

Espero que com essa pesquisa e estudo, colabore para que todos entendam o quanto é importante saber usar esse instrumento de trabalho da melhor forma possível, com sabedoria e respeito, levando-se em conta a intenção íntima de cada um.

Cristina Alves.


2 comentários