Colônia - Pesquisado por Ednay Melo


Olá caro leitor! 

Estamos dando continuidade aos estudos da ervas! O artigo de hoje sobre a Erva colônia vai especialmente para as pessoas que formam a nossa assistência e que residem no Sul ou Sudeste do País e nos informaram que em suas cidades não se conhece esta planta! Alguns sites na internet afirmam que ela é conhecida também como macassá, porém, aqui no Nordeste a planta macassá é outro tipo de planta com outras características. Então, está aí a colônia, uma das plantas mais utilizadas em rituais na nossa região Nordeste! Boa leitura!





Erva Colônia Umbanda



COLÔNIA, A PLANTA MEDICINAL

Alpinia speciosa

Descrição : da família das Zingiberaceae, também conhecida como alpinia, cana-do-brejo, cana-do-mato, cardamomo, cardamomo-do-mato, cardamomo-falso, colônia, falso-cardamomo, flor-do-paraíso, lírio-de-santo-antônio, jardineira, noz-moscada, pacová, paco-seroca, vindi-caá helicondia. Herbácea rizomatosa, bem robusta, sempre agrupada em touceiras. As folhas são lanceoladas, oblongas, bem compridas, pontudas, de margens ciliadas, de coloração verde-brilhante e invaginantes. As flores, de cor alaranjada, nascem nas axilas das folhas e são dispostas em cachos terminais pendentes. A planta toda é ligeiramente aromática.
Plantio : Reproduz-se por pedaços de rizomas em solos úmidos e permeáveis, de preferência em locais de climas quentes. É uma planta extremamente invasora. A colheita deve ser feita no início da floração.

Partes utilizadas : Folhas, rizomas, flores e sementes.

Habitat: E dada como nativa do Brasil e outros autores dão-na como nativa da Índia, de onde muitas especies hoje endêmicas no pais também vieram.

História: Tem tradição de uso medicinal pelos tupis-guaranis. E cultivada também como planta ornamental.

Origem : Índia oriental. No brasil é encontrada como planta ornamental.

Princípios Ativos: Alcalóides, flavonóides (cardamonin, isalpinin etc.), catequina, epicatequina, óleos essenciais (canfeno, cânfora etc.), rutina e dois derivados glicosídicos do kaempferol, taninos. .
Propriedades medicinais: Abortiva, antibacteriana (em conjuntivites), antiedematosa, anti-hipertensiva, anti-histérica, antiulcerogênica, anti-stress, bloqueiador neuromuscular, calmante, depressora do sistema nervoso central, digestiva, diurética, estomacal, estimulante da motilidade intestinal, hipotensor, inibidora da musculatura lisa, inibidora da secreção gástrica, purificador sanguíneo, relaxadora vascular, inibidora da atividade da proteína kinase e da fosfodiesterase nucleotídeo cíclica (controla a patofisiologia das doenças coronarianas, que envolve fluxo sanguíneo e vasoconstrição), sedativa, tônica, vermífuga.

Indicações: Afecção da pele, artrite, asma, catarro, cistite, diarreia, dor de cabeça, febre, gastralgia; hipertensão, micose de pele, pelos e unhas; taquicardia, tosse, úlcera.

Contra-indicações/cuidados: É abortiva . Reduz os movimentos peristálticos.

Modo de usar: Digestivo; estado de excitação nervosa; dores em geral : Em 1 xícara de chá, coloque 1 colher de chá de rizoma fatiado e adicione água fervente. Abafe por 10 minutos e coe. Tome 1 xícara de chá, de 1 a 2 vezes ao dia.

Afecções respiratórias; amigdalite; rouquidão : Coloque 1 colher de sopa de rizoma fatiado em 1 xícara de café de água em fervura. Desligue o fogo e coe. Adicione 1 xícara de café de açúcar cristal e leve novamente ao fogo, até dissolver o açúcar Tome uma colher de sopa de 1 a 3 vezes ao dia. Para crianças dar somente meia dose.

Afecções estomacais, intestinais e renais; reumatismo : Coloque 2 colheres de sopa de rizoma e flores fatiados em 1 xícara de chá de álcool de cereais a 70%. Deixe em maceração por 8 dia e coe. Tome 1 colher de café, diluído em um pouco de água renais e a, 15 minutos antes das principais refeições.

Cólicas intestinais; reumatismos; nevralgia; dores lombares e musculares : Coloque 3 colheres de sopa de rizomas, folhas e flores fatiados em 1 litro de água em fervura. Desligue o fogo, abafe, espere amornar e coe. Adicione à água do banho morna, e faça banho de imersão, por 15 minutos.

Farmacologia: Planta ainda não estudada convenientemente, atribui-se sua atividade vermicida aos óleos voláteis. Sabe-se que possui atividade anti-espasmódica, reduzindo os movimentos peristálticos, e relaxante muscular, anti-inflamatória, diurética, anti-fungicida e anti-hipertensiva, não estando claros os mecanismos. Seu repertório de princípios ativos da margem a estas indicações.

Benefícios da planta colônia

As propriedades medicinais da colônia se concentram principalmente nas suas folhas e rizoma. Na medicina popular, o óleo essencial das folhas da colônia é utilizado para reduzir a pressão alta e como um tônico cardíaco. Em outras partes do mundo, é considerada balsâmica, diurética e tônico-estomacal, sendo tradicionalmente usada para resfriados, gripes, febres, flatulência, problemas estomacais e indigestão. Possui ação antioxidante e também é conhecida por matar bactérias. Em forma de decoção combate fungos e alivia dores e espasmos.

Contraindicações e efeitos colaterais da colônia:

A colônia não deve ser utilizada durante a gravidez. Pode ser abortiva. A colônia também não é indicada para pessoas hipotensas (pressão arterial baixa).

História e curiosidades

A colônia pertence à mesma família do gengibre, sendo uma planta nativa da região tropical da China, Japão, Índia, Vietnã, Cambodja, Tailândia e Malásia. A colônia é amplamente cultivada e distribuída nas áreas tropicais e subtropicais do Brasil, Peru e Estados Unidos.

A colônia é um arbusto perene que cresce em touceiras em posição vertical em climas tropicais. A colônia é comumente chamada de gengibre-casca ou gengibre-concha devido sua casca rosa, em forma de botão, que relembra as conchas do mar. Produz rizomas carnosos muito parecidos com o gengibre, inclusive com aroma semelhante.

O gênero Alpinia compreende mais de 230 espécies da família da família Zingiberáceas. Possuem flores brilhantes e chamativas, por isso são apreciados como plantas ornamentais. As flores da colônia se adaptam melhor a ambientes úmidos, solos bem drenados e sol pleno, condicionadas em semi-sombra. As plantas não produzem flores até o segundo ano. A espécie Alpinia speciosa faz parte da Relação Nacional de Plantas Medicinais de Interesse ao SUS (RENISUS).


Uso Ritual:

Na Umbanda, folhas e flores são usadas para banhos propiciadores. Planta da Orixá Iemanjá. Erva calmante, equilibradora e repositora de boas energias.
Ednay Melo






Fontes de Pesquisa:
Plantas Medicinais
Plantas que Curam
Adaptação: Ednay Melo






Comentários