28 de janeiro de 2016

Textual description of firstImageUrl

Erva Peregum - Pesquisado por Ednay Melo


Erva peregum
Peregum - Dracena – Dracaena fragrans

Nome Científico: Dracaena fragrans
Sinonímia: Aletris fragrans, Aloe fragrantissima, Cordyline fragrans, Dracaena deremensis, Pleomele fragrans, Draco fragrans, Dracaena albanensis, Dracaena aureolus, Dracaena broomfieldii, Dracaena butayei, Dracaena deisteliana, Dracaena janssensii, Dracaena latifolia, Dracaena lindenii, Dracaena massangeana, Dracaena smithii, Dracaena steudneri, Dracaena ugandensis, Sansevieria fragrans, Pleomele deremensis, Pleomele smithii, Pleomele ugandensis

Nomes Populares: Dracena, Dragoeiro, Pau-d'água, Coqueiro-de-vênus, Dracena-deremenis, Cana-agna, Cana-índia, Tronco-do-brasil, Pau-do-brasil, Peregum

Família: Asparagaceae

Categoria: Arbustos, Arbustos Tropicais, Folhagens

Clima: Equatorial, Mediterrâneo, Oceânico, Subtropical,Temperado, Tropical

Origem: Angola, Costa do Marfim, Moçambique, Sudão,Tanzânia, Zâmbia

Altura: 0.6 a 0.9 metros, 0.9 a 1.2 metros, 1.2 a 1.8 metros,1.8 a 2.4 metros, 2.4 a 3.0 metros, 3.0 a 3.6 metros, 3.6 a 4.7 metros, 4.7 a 6.0 metros, 6.0 a 9.0 metros

Luminosidade: Luz Difusa, Meia Sombra, Sol Pleno

Ciclo de Vida: Perene

É conhecida em algumas regiões do Brasil pelo nome de nativo ou peregum e muito utilizada em água sagrada pela cultura afro-brasileira.

A dracena é uma planta arbustiva, de folhagem decorativa e amplamente cultivada em diversas partes do mundo por seu forte apelo tropical e rusticidade em ambientes internos. É uma planta de florescência espécie que é nativa em toda a África tropical, do Sudão do Sul para Moçambique , para o oeste para a Costa do Marfim e no sudoeste de Angola, que cresce em regiões de montanha em 600-2,250 1,970-7,380 m (pés) altitude.

Nas plantas jovens seu tronco geralmente é simples, mas se tiver a brotação apical danificada, ele rapidamente desenvolve novos ramos. As ramificações aumentam após cada floração. Se cultivado no solo, ele pode crescer até 15 metros de altura e atingir 30 cm de diâmetro. As folhas são grandes, brilhantes, lanceoladas e, de acordo com o cultivo, podem ser largas ou estreitas, de cores lisas ou variegadas com listras longitudinais, de margens lisas ou onduladas, com diferentes tonalidades de verde. Elas surgem em rosetas terminais, com formato que muitas vezes lembra um pompom: as folhas jovens são eretas e centrais e as folhas maiores são recurvadas. Suas inflorescências são do tipo panícula, globosas, e de cor branca a rosada, com intenso perfume adocicado. As flores são bastante atrativas para abelhas e beija-flores. Os frutos que se seguem são bagas lisas, alaranjadas a vermelhas, com várias sementes.

A dracena é bastante popular e versátil no paisagismo, podendo ser utilizada como arbusto isolado ou em grupos e renques, servindo assim como ponto focal ou compondo maciços, cercas vivas e conjuntos com outras plantas. Em interiores ela é sucesso absoluto. Plantas envasadas e muitas vezes moldadas por podas de formação embelezam escritórios, halls, salas de estar, consultórios, varandas, etc. Destacam-se nesta função as cultivares compactas e de folhas coloridas, tais como ‘Compacta’, ‘Janet Craig’, ‘Lemon Lime’, ‘Sol’, etc. Ela apresenta baixíssima manutenção, podendo ser cultivada até pelos jardineiros mais esquecidos. A dracena também é considerara uma excelente espécie para despoluir ambientes. Estudo da NASA comprovoram que ela contribui para eliminar produtos como formaldeído, xileno e tolueno.

A planta é conhecida como " masale "e é uma planta sagrada para as pessoas Chagga de Tanzânia .

Deve ser cultivada sob sol pleno, meia sombra ou luz difusa, de acordo com a cultivar e o clima, mas sempre em solo fértil, enriquecido com matéria orgânica e irrigado regularmente. Aprecia o calor e a umidade ambientais, mas não tolera encharcamentos. Contudo, é possível cultivar um segmento do seu tronco em vasos com água por um bom tempo. Desta forma de cultivo, surgiu o nome pau-d’água. Folhas com as pontas secas são um sinal de que a umidade está muito baixa, aumente a frequência das regas, reduza o uso do ar condicionado e, se possível, pulverize as folhas com água. Fertilize quinzenalmente na primavera e verão. Não tolera geadas ou neves. Multiplica-se por alporquia e estaquia dos ramos.

Usos

O dragoeiro deve o seu nome à cor da seiva produzida pela D. draco e pela D. cinnabari, que depois de oxidada por exposição ao ar forma uma resina pastosa de cor vermelho vivo que foi comercializada na Europa com o nome do sangue-de-dragão ou drago. O sangue-de-dragão moderno, entretanto, é mais comumente feito a partir das palmas Daemonorops.

Algumas espécias como D. deremensis, D. fragrans, D. godseffiana, D. marginata, e D. sanderiana são muito usadas como plantas caseiras e em decoração de jardins. Também muito utilizado pela cultura afro-brasileira.

USO RITUALÍSTICO DA ERVA PEREGUM

Erva de Ogum e Iansã. Apesar das diferentes espécies, conhecidas nas religiões afro-brasileiras como peregum verde, verde e amarelo e roxo, onde alguns autores atribuem a verde para Ogum, a verde e amarela para Oxossi e a roxa para Iansã e Xangô, na Tulca recebemos a orientação espiritual de que esta erva vibra mais especificamente nas energias dos Orixás Ogum e Iansã, independente da cor ou forma de suas folhas.

Forma de uso: banhos, bate folhas e ornamental para purificar o ambiente. Erva de uso ritual para afastar espíritos obsessores, trevosos e vampirizadores.

Ednay Melo

Fontes de Pesquisa:
Wikipedia
Jardineiro.net

Leia também:
Erva Pitanga




Leia mais

24 de janeiro de 2016

Textual description of firstImageUrl

Tulca no Saravá Oxossi 2016!

Oxossi Tulca

"Ele atirou...

Oxossi Tulca

E ninguém viu...

Oxossi Tulca

O Sr. Oxossi é quem sabe...

Oxossi Tulca
Aonde a flecha caiu!"

***

Que Pai Oxossi no seu mês de vibração maior, cubra a todos com suas bençãos e proteção! Que a saúde e a abundância da mãe terra alimente a todos, no corpo e na alma!

Agradecidos estamos a todos que fizeram desta singela homenagem, uma verdadeira demonstração de amor e agradecimento a este grande Orixá!

Saravá Oxossi!
Okê Arô!

Gira festiva em homenagem a Oxossi, na sede da Tulca em 23/01/16





Leia mais

17 de janeiro de 2016

Textual description of firstImageUrl

Fé - Por Ednay Melo

Fé - Por Ednay Melo


Ter fé é assumir-se filho de Deus e atribuir a si a competência que Ele nos confiou, é também atribuir a Deus toda a Justiça e Bondade inerente à sua essência Divina. (Ednay Melo)

É comum ouvirmos sempre a nossa volta a palavra "fé":
"-Tenha fé porque tudo passa!" "
"-Tenha fé porque Deus está no controle!"
"-Tenha fé, você conseguirá!" etc, etc...

Em todas as religiões é comum o ensinamento sobre a fé:
"E Jesus lhes disse: Por causa de vossa pouca fé; porque em verdade vos digo que, se tiverdes fé como um grão de mostarda, direis a este monte: Passa daqui para acolá, e há de passar; e nada vos será impossível.Mateus 17:20"

Técnicas de auto ajuda, bem como psicoterapias, têm como foco principal:
-"Tenha fé em você mesmo!"

Mas afinal, o que significa esta palavra tão pequena e que parece detentora de tanto poder? Vamos ao dicionário:

"Fé é a coragem de acreditar (sem qualquer desconfiança), em algo que nos foi prometido e ainda não vemos, mas que esperamos, baseados na Fidelidade da Palavra que nos foi dada."

"A definição bíblica é: Hebreus 11.1 Ora, a fé é a certeza de coisas que se esperam, a convicção de fatos que se não vêem. É muito comum dividir a Fé em natural e sobrenatural. No popular a fé é redefinida de acordo com cada religião."

"É a esperança certa. a convicção embasada no sentir além da razão, mas ao alcance de nossa percepção mais íntima. No fundo, sabemos, temos em nós a certeza sutilmente depositada no advir convicto."


Pelas definições acima, podemos observar que "fé" denota algo vago e impreciso. Por que, então, tem tando poder de persuasão nas pessoas? Opa! Falamos "nas pessoas", mas em verdade seu poder é sentido em algumas pessoas ou, porque não dizer, em bem poucas pessoas. Por quê???

Porque a "fé" não se aprende, não se dispõe em um contexto racional pleno, simplesmente porque é um atributo Divino! Só é sentida e absorvida pela emoção, pelo coração, como tudo que vem de Deus.

O homem como criatura de Deus é munido com todas as virtudes, inclusive a capacidade de ter fé. Deixar a fé expandir seu real fundamento é preciso mais do que acreditar, é preciso ser e estar na posição que Deus nos confiou como seus filhos, cultivando todas as virtudes e se esforçando para compreender os próprios erros e falhas, a fim de que possa extinguir os próprios defeitos paulatinamente.

Ter fé é assumir-se filho de Deus e atribuir a si a competência que Ele nos confiou, é também atribuir a Deus toda a Justiça e Bondade inerente à sua essência Divina.

Na nossa Umbanda os Guias nos alertam sempre: "-Tenham fé!" Porque eles sabem que para nos ajudarem é preciso nos ajudarmos primeiro. Então deixemos de acomodações esperando as mudanças de fora para dentro, ela não virá, porque o homem é o agente da sua própria vida. Os trabalhadores espirituais nos auxiliam indicando as ferramentas que possamos precisar para a reconstrução que necessitamos, nunca irão fazer por nós, porque assim estariam reduzindo ou anulando a criatura divina e capaz que Deus concedeu.

Se a fé em si próprio ou em qualquer investimento não for suficiente, dificilmente sairemos do lugar. Saibamos, então, empregar esta palavra com utilidade real e não como algo vago e quase impossível. Você é de Deus! Você pode!

Ednay Melo (Texto ditado espiritualmente)





Leia mais

15 de janeiro de 2016

Pai Nosso Umbandista

“Pai Nosso que estais nos céus, nos mares, nas matas e em todos os mundos habitados;

Santificado seja o teu nome, pelos teus filhos, pela natureza, pelas águas, pela luz e pelo ar que respiramos.

Que Teu reino, reino do bem, do amor e da fraternidade, nos una a todos e a tudo que criaste, em torno da sagrada cruz, aos pés do divino salvador e redentor.

Que Tua vontade nos conduza para o culto do Amor e da Caridade.

Dá-nos hoje o pão do corpo, o fruto das matas e a água das fontes para o nosso sustento material e espiritual; e a vontade para sermos virtuosos aos nossos semelhantes.

Perdoa-nos, se merecermos, as nossas falhas e dá-nos o sublime sentimento do perdão para os que nos ofendem.

Não nos deixeis sucumbir ante as lutas, dissabores, ingratidões, tentações dos maus espíritos e ilusões pecaminosas da matéria.

Envia Pai, um raio da Tua divina complacência, luz e misericórdia, para os teus filhos pecadores que aqui habitam pelo bem da humanidade.

Assim seja, em nome de Deus Olorum, de Oxalá e de todos os mensageiros de Luz da Umbanda.”

Saravá Umbanda!

(Autor desconhecido)




Leia mais
Topo